PBH chega a acordo com Setra, e preço da passagem de ônibus vai cair para R$ 4,30

Luiz Augusto Barros
@luizaugbarros
21/12/2021 às 12:38.
Atualizado em 29/12/2021 às 00:35

A Prefeitura de Belo Horizonte chegou a um acordo com o Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo (Setra-BH) sobre o reajuste nas tarifas do transporte público da capital. O acerto foi divulgado nesta terça-feira (21) pelo prefeito Alexandre Kalil (PSD) após o quinto encontro entre as partes.

A passagem de ônibus poderá custar R$ 4,30, valor 20 centavos mais barato em relação ao que é cobrado atualmente. As mudanças ainda serão firmadas na Justiça.

Ainda segundo a administração municipal, os bilhetes que custam R$ 3,15 e R$ 1,00 terão os preços congelados. O valor da integração vai cair de R$ 1,35 para R$ 1,15.

Prefeitura vai arcar com preços

A prefeitura vai acarcar com a redução, o congelamento e as gratuidades. "A gratuitidade vai continuar, quem tem direito continua tendo direito, a prefeitura assume", afirmou Kalil.

Com o novo acordo, a administração pública pagará integralmente a despesa das gratuidades às empresas de transporte, o que torna viável a redução da passagem para os demais usuários, visto que, anteriormente, a gratuidade era descontada da despesa total dos usuários.

"O congelamento entra na conta, redução também, assumindo a gratuidade, e esse é o número que vai efetivamente pagar", completou Kalil.

Raul Leite, presidente do Setra-BH, afirma que a mudança tira o ônus dos usuários e o transfere para a prefeitura. O próximo passo é viabilizar as ações junto à PBH e a BHTrans. "Continuamos as conversas, agora com questões mais operacionais."

Quando começa a valer?

Os números, no entanto, ainda serão levados para a Câmara Municipal de BH. A expectativa é que o acordo seja homologado na Justiça até 15 de janeiro. "Em fevereiro, vamos levar os números para a Câmara e, imediatamente, quando forem aprovados, a tarifa cai em 24 horas", garantiu.

Kalil afirmou que ficou satisfeito com o acordo e ressaltou que os valores são "decentes" e "corretos". "Os técnicos nossos se debruçaram nos números, os deles também, chegamos nisso em uma promessa também de modernização do contrato, que é o segundo passo."

Compartilhar
Ediminas S/A Jornal Hoje em Dia.© Copyright 2022Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por