Belo Horizonte registrou uma redução de 74% no trânsito desde o início do isolamento social para conter a pandemia do novo coronavírus, de acordo com levantamento feito pelo projeto Coronavirus-MG. Em 17 de março, a prefeitura da capital decretou situação de emergência e, no dia seguinte, suspendeu alvarás de funcionamento dos comércios não essenciais, serviços, festas e eventos.

Porém, o mesmo levantamento aponta agora uma tendência de relaxamento da quarentena, contrariando os apelos e ações recentes do prefeito Alexandre Kalil e das autoridades de saúde. O monitoramento indica também que o grande desafio são os passeios nos fins de semana, especialmente aos domingos.

O levantamento mostra que em 18 de março, o trânsito registrou uma queda de 57% e, no primeiro final de semana das novas regras, a circulação de pessoas pela capital caiu em 60%. Já o final de semana com menos pessoas nas ruas de BH foi nos dias 28 e 29 de março. Desde então, a queda foi de 72,5%. 

Mas, a partir daí, as ruas da capital estão voltando aos poucos a ficar cada vez mais cheias, o que indica um afrouxamento do isolamento social.

gráfico trânsito BH

A pesquisa indica que aos domingos a população tem buscado alternativas de passeios, aumentando as aglomerações pelas ruas da capital. No dia 5 de abril, pontos turísticos de BH ficaram cheios de pessoas se exercitando e passeando com a família.

Logo depois, a Prefeitura de Belo Horizonte interditou espaços como a Lagoa da Pampulha, a Praça do Papa e a Praça da Liberdade. Mas, a movimentação pelas vias da capital não diminuiu.

A Guarda Municipal e a BHTrans passaram a adotar, desde 9 de abril, medidas como a colocação de cones e até grades de bloqueio em locais de grande visitação. No último dia 14, o prefeito também decretou obrigatória a utilização de máscaras nos espaços públicos da capital.

Os dados do Waze/BID consideram tanto a extensão quanto a duração das retenções no trânsito das principais regiões metropolitanas da América Latina. Uma análise publicada pelas empresas sugere que a adesão ao isolamento em Belo Horizonte é proporcionalmente menor que em Brasília, Recife, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo.

O levantamento aponta ainda que durante a semana o isolamento tem sido maior. Na última segunda-feira (13), o trânsito foi 83,5% menor do que o normal. Porém, já é possível visualizar uma queda também nos dias úteis. O pico do isolamento foi em 24 de março, quando a circulação diminuiu 89%.

Na sexta-feira (17), o trânsito teve 20% dos veículos que costumam circular, quase 2% a mais de movimentação do que na quinta-feira (16).