Pesquisadores  encontraram o novo coronavírus, causador da Covid-19, em oito das 26 amostras colhidas no sistema de esgoto de Belo Horizonte e Contagem, na região metropolitana. O resultado corresponde a  31% de contaminação e foi obtido na primeira semana dos trabalhos de campo do projeto-piloto que começou em Minas e pretende verificar em quais regiões do país há maior incidência do vírus.

Segundo a Agência Nacional de Águas (Ana), dessas oito amostras positivas para o novo coronavírus, três foram coletadas na sub-bacia do ribeirão Arrudas e cinco na sub-bacia do ribeirão do Onça, que corta a capital e Contagem. As coletas foram feitas entre os dias 13 e 24 de abril.

A pesquisa pretende identificar a prevalência e a dinâmica de circulação para identificar a ocorrência por região, o que poderia direcionar a adoção de medidas de relaxamento consciente do isolamento social, além e possibilitar avisos dos riscos de aumento de incidência da doença de forma regionalizada, ajudando na tomada de decisão dos gestores públicos.

Ainda conforme a agência, não há evidências da transmissão do vírus, ainda com potencial de causar a infecção da Covid-19, por meio das fezes - transmissão feco-oral - e que o objetivo da pesquisa é mapear os esgotos para indicar áreas com maior incidência da transmissão.

O trabalho deve durar dez meses e é uma parceria entre a Agência Nacional de Águas (ANA) e O Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia em Estações Sustentáveis de Tratamento de Esgoto (INCT ETEs Sustentáveis - UFMG), Instituto Mineiro de Gestão das Águas (IGAM), Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa) e Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG).