Dois homens, de 18 e 19 anos, foram presos suspeitos de participação no latrocínio que vitimou o motorista de aplicativo Anderson Alves Coelho, de 27 anos, em 31 de dezembro. O corpo do condutor foi localizado no fim da manhã deste sábado (2), em uma mata em Vespasiano, na Grande BH.

anderson motorista aplicativoAnderson Alves Coelho saiu para trabalhar por volta das 13h30 do dia 31 e não foi mais visto

De acordo com o sargento Arlindo César Lima, da 180ª Companhia do 36º Batalhão de Polícia Militar (BPM), os jovens, que são cunhados, foram detidos em casa, no bairro Bela Vista, na cidade. Quando os agentes chegaram, a dupla teria tentado despistar. "Mas acabaram confessando o crime", contou o policial, que afirma que o corpo encontrado é, de fato, da vítima.

Ainda segundo o militar, os suspeitos pediram uma corrida pelo aplicativo e o motorista deveria pegá-los no mesmo bairro onde vivem. Eles entraram no veículo, um Palio, e já teriam anunciado o assalto, pegando celular e dinheiro. Em seguida, levaram Anderson para um local ermo e o mataram.

O corpo foi deixado em uma mata na rua Antônio Mamede, que liga o Morro Alto ao Bela Vista. Já o automóvel, abandonado a seis quilômetros de distância, na rua H, no Novo Horizonte.

Investigações

Sargento Arlindo disse que os militares conseguiram chegar aos suspeitos por meio de diligências e de denúncias de populares. Imagens, ainda segundo ele, mostrariam os rapazes desembarcando do veículo após o crime.

"Eu creio que eles, inclusive, estavam conversando com a prima do Anderson se passando pela vítima. Há uma contradição nos horários e isso será apurado", frisou o policial.

De acordo com os familiares do motorista, ele saiu para trabalhar por volta de 13h30 de 31 de dezembro. A última vez que Anderson falou com parentes teria sido por volta das 23h, por meio de mensagens pelo WhatsApp.

Em nota, a Polícia Civil informou que uma equipe da perícia técnica foi acionada e acompanha a ocorrência junto à Polícia Militar no local. "Ainda não há identificação da corpo, que será encaminhado ao IML (Instituto Médico-Legal) em Belo Horizonte".