A força-tarefa montada para combater os ataques a banco em Minas continua nesta sexta-feira (28) as buscas por suspeitos de terem participado do assalto a duas agências bancárias em Uberaba, na região do Triângulo Mineiro. Conforme o trabalho de investigação, estima-se que entre 15 e 20 criminosos podem estar escondidos em "rotas de fuga" na zona rural da cidade, na divisa com os estados de São Paulo, Mato Grosso e Goiás.

De acordo com a Polícia Civil, os dez homens detidos na quinta-feira serão ouvidos em audiência de custódia e, em seguida, trazidos para um presídio na Região Metropolitana de Belo Horizonte.

Os serviços de inteligência de estados como Goiás e Mato Grosso, além de São Paulo - local de origem da quadrilha - trabalham em conjunto para cercar o grupo.

Vítimas do ataque

Segue em estado gravíssimo a jovem de 21 anos que foi baleada na cabeça durante o assalto. Informações preliminares fornecida por testemunhas à polícia indicam que ela teria se negado a entregar o veículo aos bandidos. A mulher está em observação e recebe medicação na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Triângulo Mineiro (HC-UFTM). 

Segundo a unidade, a vítima corre risco de morte. A jovem foi operada no fim da manhã dessa quinta-feira.

Já o homem de 45 anos que foi atingido por um tiro na perna durante o tiroteio, já está em casa. A vítima teve o ferimento tratado na mesma unidade hospitalar e foi liberado ainda na quinta-feira. Ele não corre risco de morte.

Leia mais:
Arsenal de guerra em mãos erradas: 71 armas são apreendidas por dia em Minas
Prefeito de Uberaba parabeniza ação da PM, mas cobra mais vigilância nas estradas
Polícia acredita que explosão em Uberlândia pode estar ligada a ataque de quadrilha em Uberaba
Com reação previamente planejada, PM de Uberaba 'direcionou' quadrilha para embate na zona rural