A Polícia Civil apreendeu um aparelho celular durante o cumprimento de mandado de busca e apreensão na manhã desta quinta (10) na casa do suspeito de abuso sexual de crianças do Colégio Magnum, na Região Nordeste de Belo Horizonte. Mais quatro pessoas também prestaram depoimentos ao longo desta quinta.

As investigações começaram na última sexta-feira (4) após a denúncia da primeira mãe. Ela procurou a polícia e contou “que seu filho, de 3 anos, ficava tentando beijar sua boca, atitude não comum entre mãe e filho”. Ela disse também que, ao questionar o comportamento, ele respondeu que teria aprendido isso com o suspeito. Ainda de acordo com a mãe, o aluno "foi forçado a tocar no pênis do autor e que o autor tocou no pênis da vítima”. De acordo com a Polícia Militar, a mãe voltou a questionar a criança, que, por sua vez, fez gestos indicando que teria feito sexo oral com o rapaz. 

O segundo caso teria sido semelhante, com a criança relatando situações parecidas com as denunciadas anteriormente e veio à tona durante reunião realizada com pais de alunos e escola. Na ocasião, o pai relatou que o filho também apresentou indícios de ter sido abusado pelo auxiliar de educação física. 

Até o momento cinco famílias registraram boletins de ocorrência. 

A Polícia Civil informou que o caso está sob sigilo e que os detalhes das investigações serão repassados somente no final do inquérito, que ainda não tem prazo para ser concluído. Porém, confirmou que 37 pessoas já foram ouvidas, dentre elas, familiares, crianças e representantes da escola.

O suspeito, de 22 anos, será ouvido após o depoimento das testemunhas. A defesa dele diz que o rapaz é inocente das acusações.

Em nota, o Magnum informou que desde o conhecimento do caso, a escola tem tomando todas as providências necessárias para auxiliar na apuração. “Continuaremos com a nossa conduta responsável, sem expor nomes, dando assistência jurídica e psicológica para todos colaboradores e familiares envolvidos. Neste momento, o inquérito tramita sob sigilo, e a escola respeita essa orientação”, diz o comunicado.

Leia mais:
Polícia faz buscas na casa do suspeito de abuso sexual em escola de BH
Polícia ouve mais 15 familiares e funcionários sobre supostos estupros no colégio Magnum
Colégio Magnum: outra família registra BO sobre supostos abusos relatados em reunião de pais
Suspeito de abusar de crianças em colégio afirma inocência em entrevista
Especialistas ensinam como orientar as crianças e identificar abusos sexuais; assista ao vídeo