A Polícia Civil informou que continuará as ações de fiscalização a supostos preços abusivos praticados em postos de combustíveis de Belo Horizonte neste fim de semana. Nessa sexta, os agentes constataram irregularidades em um posto da região Centro-Sul. O caso será investigado.

De acordo com a corporação, diversas empresas foram vistoriadas pela Delegacia Especializada em Defesa do Consumidor (Decon) após denúncias de consumidores durante a greve dos caminhoneiros que transportam combustíveis. A paralisação já foi encerrada.

Em um dos casos, os policiais da Patrulha Metropolitana Unificada de Apoio (Puma), da Polícia Civil, foram até um posto no Barro Preto. Lá, um boletim de ocorrência foi registrado e encaminhado para a Decon, que informou que irá apurar os fatos e adotar medidas cabíveis.

Em Nova Lima, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, a polícia foi chamada para apurar denúncias de reajustes ilegais em postos da cidade e constatou a irregularidade em três deles. A corporação relembrou, no entanto, que não possui atribuição para aplicação de multas.

Viral

Usuários de aplicativos de mensagem viralizaram, nessa sexta, um vídeo informando que o litro de gasolina estava superior a R$ 8 em um posto da avenida Antônio Carlos, na Pampulha.

"Os policiais da Decon estiveram no local e constataram que a informação não procedia. O que ocorreu foi que, ao não ter mais gasolina para comercializar, o empresário zerou o letreiro com o valor por litro", informou a corporação, em nota.

Um balanço completo sobre as ações de fiscalização da Polícia Civil deverá ser divulgado na segunda-feira (1).

Leia mais:
Defesa Civil alerta para a possibilidade de temporais em BH; tempo ficará nublado no fim de semana
Mesmo após fim da greve, há fila para abastecer em BH; em alguns postos já falta combustível
Banco do Brasil ajuda estados e municípios a cobrar impostos via Pix