Mandado de busca e apreensão foi cumprido nesta quinta-feira (23), pela Polícia Civil, na casa do radialista Bruno Azevedo. O jornalista da rádio Itatiaia é investigado desde o ano passado por suspeita de estelionato.

Azevedo virou notícia após desaparecer em outubro e ser encontrado por familiares. O inquérito que apura o sumiço foi aberto após a corporação ter recebido denúncias de pessoas que afirmaram terem sido vítimas de um golpe supostamente dado pelo comunicador.

A Polícia Civil informou que divulgará novas informações sobre o caso ainda nesta quinta-feira, após uma coletiva de imprensa.

Sumiço

O pai do jornalista foi quem comunicou à polícia o desaparecimento, em 31 de outubro. Aos investigadores, contou que o filho havia deixado uma carta, alegando dívidas financeiras insustentáveis e se despedindo dos parentes. Ele ainda disse, na correspondência, que não teria como ser encontrado.

Durante cinco dias, familiares, amigos e colegas da imprensa tentaram contatos com Azevedo, sem sucesso. Outros repórteres fizeram correntes nas redes sociais, tentando encorajar o colega a voltar. Na noite de 5 de novembro, os parentes entraram em contato com os investigadores, retirando a queixa de desaparecimento e informando que sabiam onde ele estava.

Mesmo assim, desde então, o caso tem sido tratado com sigilo pela polícia e conhecidos do comunicador, que não dão detalhes de onde e como ele está.

Leia mais:
Após desaparecer por suposta dívida, jornalista Bruno Azevedo é investigado por estelionato
Polícia investiga desaparecimento de jornalista de rádio em BH; ele deixou carta para a família