A Polícia Civil divulgou várias imagens, captadas por circuitos de monitoramento, que mostram que José Rogério dos Santos, de 41 anos, integrante da equipe de segurança da Câmara Municipal de Belo Horizonte, saiu de casa e foi sozinho em direção à lagoa onde o corpo dele foi encontrado. Apesar de os vídeos revelarem que o homem não estava acompanhado, a polícia não descarta a possibilidade de que ele tenha sido assassinado.


"Não descartamos nenhuma linha de investigação e trabalhamos com todas as hipóteses", declarou o delegado Rodrigo Bustamante, chefe do 2º Departamento de Polícia Civil em Contagem, na Grande BH. O corpo de José Rogério foi encontrado na última terça-feira (13), dentro de uma lagoa em Ribeirão das Neves, na Grande BH. Ele tinha uma perfuração na testa. Conforme os familiares, o homem estava desaparecido desde o dia anterior.

Segundo a Polícia Civil, o laudo que poderá revelar se o segurança tinha pólvora nas mãos ainda não foi concluído. A instituição tem 30 dias para finalizar o inquérito. Até esta sexta-feira (16), seis testemunhas prestaram depoimento e outras quatro devem ser ouvidas ainda nesta tarde.

Quando desapareceu, José Roberto estava de licença paternidade, devido ao nascimento da filha no dia anterior. O segurança trabalhava há 10 anos na Câmara Municipal e, atualmente, atuava na segurança da vereadora Nely Aquino (PRTB), presidente da Casa. No fim do mês passado, a parlamentar denunciou que foi ameaçada de morte.

Imagens

De acordo com o delegado Bustamante, as imagens mostram que José Rogério saiu de casa sozinho e permaneceu assim até chegar perto da fazenda onde o corpo foi encontrado. "Ele não apresentava nenhum comportamento ansioso ou preocupado. O percurso foi feito com muita tranquilidade", analisou.
 

Polícia divulga imagens de segurança da Câmara antes dele morrerRota em vermelho é o trajeto feito pelo segurança


O investigador contou que a família do segurança revelou que nos últimos dias de vida José Rogério estava preocupado, triste e choroso, sem, contudo, contar o motivo. "O psicológico do José Rogério é importante para traçarmos uma linha de investigação", apontou Bustamante.

Ainda conforme o delegado, momentos antes de sair de casa, o segurança recebeu uma ligação. Para os parentes, ele teria dito que o telefonema havia sido do pai. A polícia quer saber, agora, se a ligação realmente partiu do pai dele. Essa ligação pode ser peça-chave para esclarecer o mistério que cerca a morte do homem.

A Câmara Municipal de Belo Horizonte informou, por nota, que “lamenta profundamente a morte prematura do funcionário José Rogério dos Santos, um profissional dedicado e competente que trabalhou na instituição por dez anos”. A casa legislativa ofereceu solidariedade aos familiares e amigos da vítima.
 

josé rogério dos santos

José Rogério trabalhou na Câmara Municipal por dez anos

Entenda o caso 

José Rogério dos Santos foi encontrado morto com uma perfuração na testa, na tarde de terça-feira (13), dentro de uma lagoa na Fazenda Severina, em Ribeirão das Neves. De acordo com publicações de familiares em redes sociais, ele estava desaparecido desde segunda-feira (12). A filha dele nasceu no último domingo (11).

Leia mais:
Inquérito da morte de segurança da Câmara de BH deve ser concluído em 10 dias
Segurança da Câmara Municipal de BH é encontrado morto em Ribeirão das Neves