Populares foram ao Hospital Municipal de Paracatu na noite dessa terça-feira para tentar atacar Rudson Aragão Guimarães, de 39  anos, autor do massacre em uma igreja da cidade que matou quatro pessoas. A informação foi repassada ao Hoje em Dia pelo tenente Ivaldo Almeida, do 45º Batalhão da corporação. O homem permanece internado sob escolta no hospital. 

Ele foi baleado por policiais com dois tiros após ter matado a ex-namorada com uma facada no pescoço e atirar em três pessoas que estavam dentro do templo religioso. “Ontem alguns populares tentaram invadir o hospital para atacá-lo. Portanto vamos continuar com a escolta até que a ocorrência seja encaminhada à Polícia Civil”, disse o tenente Ivaldo de Almeida, do 45º BPM. 

A motivação para a ação de Rudson ainda é desconhecida. “Ele está inconsciente, mas estamos trabalhando com três suspeitas, de que ele teve um surto psiquiátrico ou que estava sob efeito de drogas. Outra possível causa é a insatisfação com o término do relacionamento”, informou. 

De acordo com Marcelo Otávio de Andrade, diretor do Hospital de Paracatu, Rudson não corre risco de morte. "Retiramos os sedativos hoje de manhã. Estamos aguardando ele despertar para ver qual procedimento vai ser adotado, mas é um caso de polícia", disse o gestor.

Velórios

Nesta manhã, em Paracatu, ocorrem o velório de três vítimas que estavam na igreja no momento do ataque. O corpo da ex-namorada de Rudson será levado, a pedido da família, para Uberlândia, no Triângulo Mineiro, onde será sepultado. 

Leia mais: 
Prefeitura de Paracatu decreta luto de três dias em homenagem às vítimas de massacre em igreja
Em rede social, autor de massacre em igreja de Paracatu falava de Deus e amor às mulheres
Homem mata a ex-namorada, invade igreja evangélica em Paracatu e abre fogo contra fiéis
Corpos de vítimas de massacre em igreja de Paracatu são velados nesta manhã
Vídeo mostra atirador invadindo igreja antes de matar fiéis em Paracatu; assista