Belo Horizonte decide hoje se dá o aval ou barra a retomada de mais atividades econômicas na cidade. Em meio a essa importante decisão, a capital vê as mortes e os casos de Covid-19 aumentarem, moradores ignorando as recomendações sanitárias e até lojistas desrespeitando as regras que visam a conter a disseminação do novo coronavírus. Todos esses fatores poderão pesar na decisão sobre uma reabertura maior da economia. O fechamento de estabelecimentos autorizados a funcionar não está descartado. 

Desde que a prefeitura aprovou a retomada de algumas lojas, as notificações do novo coronavírus subiram 49% na metrópole, epicentro da doença no Estado. Em 25 de maio, primeiro dia da flexibilização, eram 1.402 doentes e, ontem, 2.144. Nestes 11 dias, as mortes provocadas por Covid-19 na capital cresceram 30%, indo de 42 para 55.

Sem cuidado
Mesmo com o avanço da enfermidade, muitos moradores não seguem as normas preconizadas pelos órgãos de saúde para conter a infecção. Ontem, em rápido giro pelas ruas do hipercentro, não foi difícil flagrar parte da população usando as máscaras de proteção de forma incorreta, sem cobrir o nariz e a boca. Alguns sequer estavam com o acessório.

Aglomerações também foram vistas, principalmente, próximo aos shoppings populares – que têm autorização para funcionar. Não bastassem essas desobediências, estabelecimentos que deveriam estar fechados desde 18 de março abriram as portas sem o menor constrangimento, contrariando a lei. 

Em muitos locais, clientes paravam para ver vitrines. A atitude é desaconselhada por especialistas da saúde, que recomendam à população sair de casa apenas em casos necessários. Para quem precisa comprar algum produto, a orientação é deixar a residência já sabendo do que precisa, justamente para não perder tempo na loja. 

Dados da empresa de tecnologia In Loco apontam que o isolamento social em Belo Horizonte ficou em 39% na última terça-feira e em 38% na quarta. Esses índices vêm caindo a cada dia, depois de terem seu ápice registrado em 22 de março, quando 64% da população da capital mineira teriam ficado em casa.

O anúncio dos próximos passos da flexibilização social em BH será feito na tarde de hoje, pela equipe técnica do Comitê de Combate à Covid-19 na capital. O Hoje em Dia procurou a Prefeitura de Belo Horizonte ontem e recebeu a confirmação de que só hoje o órgão se pronunciará sobre o assunto, em entrevista coletiva.

Palavra do Especialista

“A gente ainda está na fase de subida de casos de Covid-19”, avalia o infectologista Jorge Luiz Saliba sobre a situação da pandemia em Belo Horizonte. Mesmo assim, ele considera que deve haver uma flexibilização dirigida, respeitando alguns cuidados, com um planejamento muito bem-feito. 

Para Saliba, é preciso estudar onde estão os focos na cidade, em que bairros e regiões, fazer uma avaliação mais criteriosa disso, para liberar algumas atividades com cuidado. 

Ele recomenda ainda que é necessário insistir na prevenção: “É muito importante também orientar mais a população sobre o quanto é indispensável o uso de máscara e a higienização das mãos com água e sabão ou com álcool em gel”.

Leia mais:

Estado muda recomendações do Minas Consciente e permite que shoppings possam reabrir parcialmente