A Prefeitura de Belo Horizonte publicou nesta quinta-feira (24) o protocolo para funcionamento de clubes sociais, de lazer ou esportivos, que poderão reabrir para o público a partir deste sábado (26). O material está baseado em uma portaria que já havia sido publicada anteriormente pela Secretaria Municipal de Saúde para regulamentação de funcionamento de academias de ginástica. Veja aqui o documento.

A portaria estabelece que, para as áreas externas, a capacidade máxima total é de uma pessoa para cada 13m². No caso de ambientes fechados (academias de musculação, lanchonetes, restaurantes e atividades de salão, como yoga, pilates e sinuca), o cálculo é de uma pessoa a cada 7m², incluindo funcionários. Saunas estão proibidas. Não há restrição para horário de funcionamento. 

O clube deverá realizar controle de entrada e saída para assegurar a lotação máxima e impedir a entrada de pessoas sem máscara ou que não estejam utilizando de forma adequada. As máscaras só poderão ser retiradas para alimentação e uso da piscina. Ou seja, os equipamentos devem ser usados, inclusive, durante as práticas esportivas em quadras e outros ambientes.

O protocolo recomenda que as atividades sejam realizadas, preferencialmente, com agendamento prévio de horário. “É permitido realizar atividades sem o agendamento, desde que seja respeitada a capacidade máxima”, afirmou o texto. Há ainda uma série de regras para que os clubes garantam a higienização adequada para a segurança de funcionários e frequentadores. 

Caso algum frequentador apresentar febre ou outro sintoma da Covid-19, deverá ser afastado e orientado a procurar atendimento nas unidades de saúde. O fato deve ser informado imediatamente à gerência do clube, que deverá comunicar às Gerências de Assistência, Epidemiologia e Regulação das Diretorias Regionais de Saúde de Belo Horizonte (GAERE). 

Confira as recomendações para o uso das piscinas:

- Exigir o uso de chinelos em áreas de circulação;

- limitar o uso da piscina de forma a preservar o distanciamento de dois metros entre as pessoas e, em caso de atividades de treinamento, limitar o uso a duas pessoas por raia;

- disponibilizar recipientes de álcool 70% para que os frequentadores usem antes de tocar nas escadas ou nas bordas;

- disponibilizar, na área da piscina, suportes para que cada frequentador possa pendurar sua toalha de forma individual;

- higienizar as escadas, balizas e bordas da piscina após o término de cada aula;

- garantir a qualidade da água das piscinas, monitorando os parâmetros físicos, químicos e microbiológicos da água.

Leia mais:
Três macrorregiões mineiras retrocedem para nível intermediário do Minas Consciente
Mais caminhada e menos aglomeração: confira as mudanças e regras para reabertura da Feira Hippie