Meteorologistas 24 horas para enviar alertas à população e envio de assessoria técnica às prefeituras mais atingidas pelas chuvas deste ano são algumas das ações anunciadas nesta quarta-feira (23) na preparação para o período chuvoso em Minas, que se inicia, oficialmente, em novembro e vai até janeiro de 2021.

As chuvas registradas no início deste ano causaram a morte de 74 pessoas no Estado e destruição a diversas cidades, incluindo Belo Horizonte.

A reunião foi realizada pelo Grupo Estratégico de Resposta a Desastres (GER), equipe multidisciplinar criada em outubro do ano passado pelo governo de Minas e composta, entre outros, por representantes da Defesa Civil Estadual, Cemig, Copasa e forças militares. 

De acordo com o tenente-coronel Flávio Godinho, coordenador adjunto da Defesa Civil de Minas Gerais, o objetivo do encontro é integrar os órgãos em uma gestão de rede, de forma a alinhar as estratégias que serão implementadas por cada um deles na prevenção e combate a desastres no período de chuvas. 

Como novidade deste ano, o GER, com o apoio do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), terá a manutenção de meteorologistas em expediente integral, 24 horas por dia, durante a época de precipitações, para acompanhar a situação climática e emitir alertas em tempo real à população por meio de mensagem de texto ou TV a cabo.

Para ter o retorno esperado, Godinho faz um chamamento aos cidadãos para que enviem o CEP de onde moram para o número 40199, que é gratuito, e assim receberem os avisos. "Caso apareça uma chuva com um volume maior, de forma inesperada, a gente consegue avisar a população", explicou.

Assessoria técnica

Entre as ações já em andamento, estão visitas de equipes da Defesa Civil para oferta de treinamento às prefeituras mais atingidas pelas chuvas deste ano no Estado. Nesta e na próxima semana, grupos realizam a ação em cidades da Zona da Mata, como Mercês, Ubá, Guidoval, Manhuaçu, Abre Campo e Espera Feliz.

Além delas, estão previstos encontros em cidades da Região Metropolitana de Belo Horizonte, como Ribeirão das Neves, Ibirité, Jaboticatubas e Santa Luzia.

"A assessoria técnica ajudará no mapeamento de risco das cidades para a chuva, verificando quais são os riscos que ela pode causar, além de casas em encostas, morros que já têm inclinação, para que essas pessoas possam ser orientadas, monitoradas, ou mesmo retiradas para abrigos para evitar mortes", afirmou.

Outra ação é a compra, feita pelo Estado, de colchões, cobertores e material de limpeza para distribuição a possíveis desabrigados da chuva. Segundo o gestor, cestas básicas também serão compradas e estão em processo de licitação.

Por fim, o Grupo Estratégico de Resposta a Desastres (GER) realizará, entre 30 de setembro e 2 de outubro, um seminário virtual com os gestores de todos os municípios mineiros para tratativas relacionadas ao período chuvoso.