Foram necessárias quase 24 horas de ocupação em frente à sede da Prefeitura de Belo Horizonte para que o prefeito Marcio Lacerda (PSB) atendesse às reivindicações dos moradores de ocupações urbanas.
 
Ele vai se reunir com representantes dos movimentos que integram a ação nesta terça-feira (30), no prédio da Companhia Urbanizadora e de Habitação Belo Horizonte (Urbel), no bairro Santo Antônio, na região Centro-Sul da capital. 
 
A ocupação da sede do administrativo da capital e o bloqueio do trânsito na avenida Afonso Pena foram as alternativas encontradas pelo grupo, formado por ocupações urbanas, como "Dandara" e "Eliana Silva", e por representantes das "Brigadas Populares" e do Movimento de Luta nos Bairros, Vilas e Favelas (MLB) para pressionar Lacerda a ouvi-los. Isso porque no último dia 10 de julho, o prefeito havia prometido se reunir com os manifestantes. 
 
O anúncio foi feito durante uma reunião com o secretário de governo, José Valadão, que começou com um atraso de 1 hora e meia e durou pouco mais de 20 minutos. “Já é uma vitória e esperávamos por isso. A pressão popular fez o prefeito ajustar agenda dele. Antes, a reunião estava marcada para o dia 8, depois para o dia 7 e até para quinta-feira (1º). Como não saímos daqui, ele vai nos ouvir hoje mesmo”, comemorou Luara Colpa, das Brigadas Populares. 
 
Antes de aceitar a proposta da reunião, os manifestantes da Ocupação da PBH fizeram uma assembleia na qual votaram por atender ao chamado do prefeito. Eles também discutiram as condições da saída para o encontro, como uma ata que garanta o retorno ao interior da PBH daqueles que saírem para a reunião.
 
Pressionado, Marcio Lacerda vai se reunir nesta terça-feira com representantes das ocupações urbanas
Antes de aceitar a proposta da reunião, os manifestantes da Ocupação da PBH fizeram uma assembleia (Foto: Mídia Ninja/Divulgação)
 
Leia também:
 
 
A manifestação teve início na tarde de segunda (29), quando aproximadamente 50 pessoas ocuparam o hall do gabinete do prefeito. Um grupo com dezenas de barracas e faixas ocuparam a avenida Afonso Pena durante toda a noite e madrugada. 
 
Os protestantes reivindicam a regularização fundiária das ocupações e alguns direitos básicos à população que reside nestes locais, como acesso a água tratata, esgoto, e energia elétrica. De acordo com a Luara Colpa, das Brigadas Populares, um grupo de dez pessoas vai se encontrar com o prefeito na Urbel, enquanto o grupo acampado em frente sede da PBH, na avenida Afonso Pena, mantém a ocupação. 
 
A reivindicação imediata a ser feita ao prefeito, segundo Luara, é quanto ao não despejo das comunidades urbanas. “Esperamos o bom senso dele na regularização fundiária porque as ocupações já são bairros constituídos, com projeto arquitetônico, proteção às nascentes e área de preservação ambiental”, afirmou.
 
Veja o vídeo produzido pelo movimento Movimento de Luta nos Bairros, Vilas e Favelas/ Brigadas Populares sobre a ocupação na sede da PBH e a pauta de reivindicações:
 
 
 
A assessoria de imprensa da PBH informou que ainda não foi definido quem participará da reunião com os representantes da ocupação, além do prefeito Marcio Lacerda e do secretário de governo, José Valadão.