Donos de academias, atletas de artes marciais, professores, fisiculturistas e médicos do esporte vão elaborar um protocolo de segurança que será entregue ao prefeito Alexandre Kalil (PSD) para a reabertura das academias na capital mineira. A iniciativa é do evento Federação Fight que considera o esporte e as atividades físicas essenciais para a saúde. "Uma pessoa física e psicologicamente bem pode enfrentar melhor as doenças e este momento que estamos vivendo com a pandemia do coronavírus", explica Ricardo Costa, um dos coordenadores do movimento.

Segundo o vice-presidente do Federação Fight, cerca de 800 academias estão fechadas há dois meses em BH, o que vem impactando o trabalho de mais de quatro mil pessoas. "Nós não estamos contra o Kalil, queremos apenas mostrar como os profissionais de educação física podem criar esses protocolos e esperamos boas notícias com essa iniciativa", explica Costa.

Nesta terça-feira (12), a Prefeitura de Belo Horizonte se manifestou sobre o decreto publicado pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) que classificou academias, barbearias e salões de beleza como serviços essenciais. De acordo com a PBH, decretos municipais continuam vigorando, seguindo a orientação do Supremo Tribunal Federal (STF), que determinou plena autonomia aos governadores e prefeitos para determinar regras de isolamento social. Alexandre Kalil não pretende liberar esses estabelecimentos para funcionamento imediato na capital.

As propostas

Entre as proposta que vão fazer parte do documento estão a obrigatoriedade do uso de luvas e máscaras por alunos e professores, além da aferição da temperatura. O número de pessoas nas academias será limitado conforme as regras da Organização Mundial de Saúde (OMS).

Ricardo Costa cita ainda que as academias terão que criar meios para a higienização de calçados e o fechamento dos espaços várias vezes por dia para desinfecção. Outro ponto é ventilação, que deve ser natural, com a abertura de janelas e portas. Os alunos ainda terão que levar a própria toalha, água. Não haverá também aulas coletivas ou lutas de contato físico. Todos os profissionais envolvidos deverão passar por treinamento de procedimentos para o cumprimento adequado das medidas.

"Eu tenho plena confiança de que vamos chegar a um denominador comum, que atenda aos interesses dos praticantes, dos profissionais de academias e da prefeitura que está zelando pela população", conclui Ricardo Costa.

A reunião para discutir os protocolos de reabertura das academias vai ser realizada nesta quarta-feira (13), às 14h30, na praça Floriano Peixoto, no bairro Santa Efigênia. Os organizadores informaram que o evento vai respeitar as normas de distanciamento social e com distribuição de álcool em gel para os participantes.