A cessão da Serraria Souza Pinto para continuidade do projeto Canto da Rua Emergencial, em Belo Horizonte, foi ampliada pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedese) e pela Fundação Clovis Salgado (FCS). Com isso, as atividades no local poderão seguir além de 13 de agosto, quando o prazo se encerraria.

Conforme informou o governo, a ampliação, que ocorre pela 10ª vez, entende a importância das ações de promoção dos direitos humanos da população em situação de rua, além da adoção de medidas emergenciais voltadas ao público.

“A prorrogação só foi possível graças ao esforço feito pela Sedese e pela FCS para que Prefeitura de Belo Horizonte possa viabilizar o término das obras do ‘Albergue Tia Branca’ e o ‘Pop Rua’, que irão acolher de forma permanente as pessoas que são atendidas na Serraria Souza Pinto”, disse o governo em nota.

A PBH, no entanto, disse que ainda não foi informada oficialmente sobre a ampliação e que, até o momento, o projeto segue até o próximo mês.   

“Caso esse prazo seja ampliado, o município manterá a parceria com a Pastoral de Rua, que executa o atendimento no Canto da Rua, a partir do repasse de recursos feito pelo município. Até o momento, foram repassamos 5,2 milhões de reais”, informou.

O Hoje em Dia procurou a Sedese e questionou sobre o novo período de cessão, mas ainda não obteve retorno.

Leia mais:
Operação 'Lock Down' mira quadrilha envolvida com tráfico de drogas na Grande BH
TCU adia votação sobre concessão da BR-381 para semana que vem
Fiocruz alerta para nível preocupante de transmissão da Covid-19 em BH e mais oito capitais