O protesto que reuniu milhares de manifestantes em Belo Horizonte, nesta sexta-feira (14), deixou o trânsito caótico em todo o hipercentro da capital. Os reflexos também são sentidos nas regiões Leste, Oeste e Noroeste. 

Durante o ato, convocado por centrais sindicais em repúdio à Reforma da Previdência, importantes avenidas da cidade foram fechadas. Dentre as vias que tiveram o tráfego impedido estão as avenidas Augusto de Lima, João Pinheiro, Amazonas e Andradas. 

O resultado: filas quilométricas de veículos e motoristas impacientes parados no trânsito. A mobilização  começou por volta das 10 horas, na Praça Afonso Arinos, e a passeata teve fim às 14h30, quando os manifestantes chegaram na Praça da Estação. 

A BHTrans informou que depois de quase três horas parcialmente interditadas, as ruas no entorno da Praça 7 teve o trânsito liberado. O tráfego também já está fluindo na Praça Afonso Arinos. Contudo, a lentidão persiste nessas áreas, com reflexos em outras vias. 

Conforme a empresa que gerencia o tráfego na capital, ainda não há previsão de liberação da avenida dos Andradas.

Leia mais:
Manifestantes voltam às ruas do país
Em dia de protestos, Zema defende união de governadores pela Previdência; veja o vídeo
Greve geral leva milhares às ruas de BH e para trânsito no centro; confira o vídeo e imagens!