Bicicletas com preços entre R$ 1.500 e R$ 5 mil eram o principal alvo de uma quadrilha especializada que atuava nos campi da faculdade de Direito e de Medicina da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), ambos na região Centro-Sul de Belo Horizonte. O bando foi desmontado nesta sexta-feira (14) pela Polícia Civil (PC), que prendeu seis pessoas e segue em busca de um sétimo envolvido, que está foragido. 

De acordo com o delegado Wagner Sales, a operação "Mountain Bike" surgiu a partir de uma denúncia feita por um funcionário da universidade, que denunciou que, em março, teve a bicicleta furtada dentro da unidade. "A partir daí fizemos várias diligências e identificamos que se tratava de uma quadrilha especializada neste crime. Eles se misturavam com os estudantes, usando roupas semelhantes, e rompiam os obstáculos onde as bicicletas ficavam guardadas. Após retirá-las, eles fugiam usando um veículo", explicou o policial. 

Ao todo, foram obtidos na Justiça sete mandados de prisão, sendo que três dos suspeitos já estavam no sistema prisional por outros crimes e outros três foram detidos nas proximidades do Aglomerado da Serra, também na região Centro-Sul da capital. O sétimo suspeito, que dirigia o carro e seria o responsável por levar os suspeitos até os locais e fugir em seguida, não foi localizado pelos policiais. 

Confira o vídeo que mostra como a ação da quadrilha era rápida: 

'Bonde dos Ladrões' 

Conforme o delegado, os membros da facção se autointitulavam "Bonde dos Ladrões". "Eles ficavam escondidos no aglomerado e eram conhecidos por praticar roubos e furtos. Eles davam preferência para as bicicletas com freios a disco, que costumam ter um valor mais alto. Todas as bikes roubadas tinham valores entre R$ 1.500 e R$ 5 mil, sendo que eles as vendiam por cerca de R$ 500", explica. 

Até agora, a investigação da PC já identificou outras 15 vítimas da facção, mas a corporação acredita que outras podem nem sequer ter registrado a ocorrência do crime. "Pedimos que, se alguém teve uma bicicleta furtada em situação semelhante, procure a delegacia para reforçar a nossa denúncia contra os suspeitos", pontua Wagner Sales. A 1ª Delegacia Centro está localizada na rua Conselheiro Rocha, nº 321, no Centro. 

As ferramentas usadas para arrombar as correntes das bicicletas foram apreendidas durante a operação. Agora, a polícia trabalha para identificar os receptadores das bicicletas roubadas.

Por meio de nota, a UFMG informou que "está atuando conjuntamente com sua comunidade acadêmica para enfrentar este problema, que também está relacionado ao aumento da utilização deste modal de transporte. Em casos nos quais a própria segurança universitária identifica furtos de bicicleta a polícia é acionada. A Universidade está fazendo projetos arquitetônicos para transferência dos bicicletários para o interior das unidades acadêmicas, implantados à medida da disponibilidade de recursos."

Leia mais:
Aglomerado da Serra é alvo de operações das polícias Civil e Militar nesta sexta-feira
Foragido com bicicleta compartilhada furtada é preso no Centro de BH
Por roubar celulares e atrair polícia, jovem é torturado e tem dedos decepados no interior de Minas
Roubo de bicicletas cresce em BH e obriga mudança de comportamento