A possibilidade de avanço na flexibilização do comércio na capital, inclusive com a reabertura gradual de bares e restaurantes, será discutida entre o Executivo e representantes dos empresários. No decorrer desta semana, pelo menos três reuniões estão previstas. Na sexta-feira (21), a Prefeitura de Belo Horizonte (PBH) deve convocar uma coletiva para tratar do assunto.

Nesta segunda-feira (17), o presidente da Associação Brasileira de Bares de Restaurantes (Abrasel), Paulo Solmucci, tem um encontro com o secretário municipal de Planejamento, André Reis. O presidente do Sindicato dos Lojistas (Sindilojas-BH), Nadim Donato, também disse que vai se reunir com integrantes da PBH nos próximos dias. 

Já o Comitê de Enfrentamento à Covid-19 debate na quarta-feira (19) se a metrópole está preparada para seguir para a fase 2 da flexibilização. Atualmente, conforme a Secretaria Estadual de Saúde (SES), BH tem 808 mortes por Covid-19 e 27.654 casos da doença.

Desde a última quinta-feira (13), a ocupação dos leitos de UTI para pacientes com o novo coronavírus está no nível amarelo. A disponibilidade de vagas de enfermaria e a taxa de transmissão do vírus já estavam no verde.

Por acreditar que o pior da pandemia já passou, os comerciantes estão na expectativa de que o Executivo possa liberar mais setores. Atualmente, shoppings, lojas de rua, galerias e salões de beleza têm aval para funcionar três dias por semana. Bares e restaurantes seguem fechados há cinco meses.

Embate

Baseado nos atuais índices de monitoramento da cidade, o Sindlojas acredita que, a partir da semana que vem, o comércio poderá ter mais um dia de funcionamento. "Vamos pedir a reabertura também na terça-feira", adiantou Nadim Donato. 

O presidente da Abrasel, no entanto, não está otimista. Paulo Solmucci critica os critérios utilizados pela PBH para a reabertura dos estabelecimentos e observa que, até o momento, o Executivo não divulgou um protocolo para o funcionamento do setor. Na reunião desta segunda, ele irá questionar se há uma data para a retomada, mas acredita que o tema central do encontro será a elaboração do protocolo. 

Já a Câmara dos Dirigentes Lojistas (CLD) informou que não foi convocada para nenhuma reunião. "Mas esperamos que o comércio possa abrir aos sábados e que a vida comece a voltar com uma certa normalidade", afirmou o presidente da CDL, Marcelo de Souza e Silva.

Análise técnica

Integrante do Comitê de Combate à Covid, o infectologista Unaí Tumpinambás reforçou que é preciso ter cautela para que os casos e mortes da doença não aumentem em BH. Segundo o médico, os especialistas que orientam a prefeitura vão analisar os últimos dados do coronavírus para confirmar se a cidade realmente está na tendência de queda. 

"Na quarta-feira a cidade completa 15 dias de flexibilização. E é necessário esse tempo para avaliar os números para saber se é possível ampliar ou não a flexibilização".

Em nota, a prefeitura de BH confirmou que o comitê vai reunir na quarta e que as sugestões dos especialistas serão submetidas ao prefeito na sexta-feira, quando uma coletiva deve ser realizada.