A barragem da usina hidrelétrica do Carioca, em Pará de Minas, no Centro-Oeste do Estado, segue com risco de rompimento na manhã desta segunda-feira (10). Há grande vazão de água no local, com transbordamento pelas laterais e pelo topo, além de infiltrações na base da estrutura. A informação foi confirmada pela Defesa Civil e prefeitura do município. 

Desde a noite de domingo (9), moradores que vivem nas proximidades do rio São João, abaixo da barragem, estão sob alerta de risco. Conforme informou o prefeito de Pará de Minas, Elias Diniz, quase todas as famílias já foram retiradas do local. Duas seguem ilhadas.

O comunicado foi emitido após a empresa Santanense, responsável pela usina, identificar avarias na estrutura, devido ao grande volume de chuvas. Segundo o 60º Batalhão da Polícia Militar de Nova Serrana, em caso de colapso da estrutura, as regiões seriam atingidas em 20 minutos.

O volume de água poderá atingir as áreas ribeirinhas de Onça do Pitangui, Pitangui e Conceição do Pará. Segundo moradores de Pitangui, desde o início da tarde de ontem eles têm sido orientados a deixar as áreas onde possa ocorrer inundação.

Segundo o Corpo de Bombeiros, a projeção da Santanense, em caso de rompimento, é que a água não atinja a área urbana de Pará de Minas. 

Leia mais:
Minas decreta luto oficial de três dias e cria comitê de enfrentamento às consequências das chuvas
Mais três vítimas da tragédia em Capitólio são identificadas; veja quem são
Barragem da Usina do Carioca pode se romper e atingir Pitangui e Onça do Pitangui