O governador Romeu Zema participou na tarde desta terça-feira (21), por videoconferência, de reunião da Comissão Federal da Covid-19 para discutir as ações realizadas no Estado no combate à pandemia. O ministro interino da Saúde, general Eduardo Pazuello, e o secretário de Estado de Saúde de Minas Gerais, Carlos Eduardo Amaral, também participaram da discussão.

Durante o encontro, o governador solicitou auxílio em ações e recursos, como no envio de medicamentos e suporte no credenciamento de novos leitos de UTI junto ao Sistema Único de Saúde (SUS).

Minas tem 95.566 casos confirmados de novo coronavírus. Desses, 25.272 são pacientes que ainda não se curaram da doença e estão internados ou em isolamento domiciliar. 

Atualmente, 68% dos 3.533 leitos de UTI da rede SUS no Estado estão ocupados. Entre eles, 958 são para uso de pacientes com diagnóstico de Covid-19. A situação é mais grave em duas regiões de saúde: Central (com taxa de ocupação de leitos de UTI em 77,3%) e Vale do Aço (com taxa de 81,4%). Algumas cidades, porém, já registraram ou registram falta de leitos.

Minas Gerais é o segundo Estado do país com a menor taxa de mortalidade da doença a cada cem mil habitantes. “Se nós compararmos com os demais estados, podemos dizer que temos feito um trabalho que está acima da média. Infelizmente, rompemos a barreira dos 2 mil óbitos. Mas, quando se fala em taxa de óbito por cem mil habitantes, somente o Estado do Mato Grosso do Sul tem um número menor do que o nosso. Continuamos ampliando o número de leitos, de respiradores”, explicou o governador.

O secretário de Saúde, Carlos Eduardo Amaral, destacou a organização do Estado para estruturar a rede pública de Saúde. “Criamos um comitê integrador com as demais secretarias de Estado e centralizamos as ações, criando um plano de contingência para identificarmos estruturas hospitalares que tivessem condições de ampliar a quantidade de leitos e estruturar, junto com os municípios, a rede de atendimento”, disse.

O ministro interino da Saúde, general Eduardo Pazuello garantiu o apoio necessário no combate à Covid-19. “Tenho acompanhado o trabalho em Minas Gerais, um trabalho excepcional, de gestão. É um Estado grandioso e precisa ter medidas grandiosas também. Quero dizer que a gente vai coordenar uma outra ida a Minas para poder me aproximar de vocês e apoiar em tudo o que for necessário”, afirmou o ministro.

Na última sexta-feira (17), a pasta informou que habilitou, em todo o país, 1.297 leitos de UTI e destes, 576 foram em Minas Gerais. O Estado, que já tinha outros 418 leitos de unidades de terapia intensiva para Covid-19 habilitadas, agora soma 994 estruturas, que receberão R$ 143 milhões.