Santana do Paraíso aciona Serviço Geológico do Brasil para analisar áreas de risco de deslizamento

Clara Mariz
@clara_mariz
28/01/2022 às 20:38.
Atualizado em 30/01/2022 às 01:07
 (Divulgação / Prefeitura Municipal de Santana do Paraíso / Alysson Ari )

(Divulgação / Prefeitura Municipal de Santana do Paraíso / Alysson Ari )

Divulgação / Prefeitura Municipal de Santana do Paraíso / Alysson Ari Após deslocamento prefeitura intensificou as vistorias no local

A Prefeitura de Santana do Paraíso, no Vale do Aço de Minas Gerais, acionou o Serviço Geológico do Brasil (CPRM) para mapear as áreas de risco de deslizamento de encosta na cidade. Nessa quinta-feira (27), 18 casas foram interditadas após uma encosta no bairro Industrial se deslocar. Ao todo, 23 famílias foram afetadas de maneira direta ou indireta.

Conforme o prefeito da cidade, Bruno Morato (Avante), as pessoas receberam todo o apoio logístico do município, além de abrigo e refeições. Neste primeiro momento, a Escola Municipal João Matias de Oliveira, no bairro Industrial, está sendo usada para receber as famílias e como espaço para elas guardarem seus pertences pessoais.

No local, também está sendo oferecida alimentação para todos os desabrigados. Na tarde dessa quinta (27), apenas uma família permanecia na escola. As demais buscaram abrigo em casas de parentes.

Vistoria
Além do acionamento do Serviço Geológico do Brasil, a prefeitura de Santana do Paraíso informou que equipes da Defesa Civil municipal e do Estado estão fazendo vistorias técnicas na área onde houve o deslizamento de terra.

Compartilhar
Ediminas S/A Jornal Hoje em Dia.© Copyright 2022Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por