Menos de 24 horas após o início de funcionamento do "túnel de desinfecção" contra à Covid-19 na Estação Pampulha, em Belo Horizonte, o equipamento teve que ser interditado. De acordo com a Transfácil, uma mangueira que leva água até o túnel estourou.

A falha foi detectada por volta das 8h15 desta quarta-feira (5), depois que usuários do transporte público perceberam que o vapor não estava sendo jorrado. Um funcionário do terminal, então, percebeu que a mangueira havia arrebentado.

Técnicos estiveram no local e descartaram vandalismo. O problema foi técnico e, após manutenção, a cabine voltou a funcionar no início desta tarde.

Reforço contra à Covid-19

A cabine do equipamento joga uma mistura de água com ozônio, que ajuda a eliminar o coronavírus, sempre que detecta a presença de uma pessoa. O túnel na Estação Pampulha ficará disponível para os passageiros 24 horas, todos os dias da semana e sem limite de usuários.

Nas próximas semanas, a expectativa é a de que mais 20 plataformas de embarque e desembarque recebam o "box neutralizador", como o equipamento também é conhecido. Segundo o presidente da Transfácil, Ralison Guimarães, todas as estações do Move, do BHBus e alguns pontos da área central devem contar com a estrutura.

O túnel foi desenvolvido pelo Senai e instalado graça a uma parceria entre a Transfácil, a Federação das Indústrias de Minas Gerais (Fiemg), a BHTrans e a prefeitura.

Leia mais:
Com a flexibilização do comércio, BHTrans estuda reforço nas viagens de ônibus
'Túnel de desinfecção' é instalado na Estação Pampulha, e BH pode receber outros 20