Dentro dos próximos dias, moradores do Triângulo Mineiro podem voltar a presenciar uma assustadora tempestade de areia. No domingo (26), o fenômeno chamou a atenção da população de Uberaba (MG), Frutal (MG) e algumas regiões do estado de São Paulo. Diversos vídeos e fotos da nuvem de poeira foram compartilhados nas redes sociais. A tempestade surpreendeu até mesmo os especialistas no assunto.

O meteorologista Ruibran dos Reis, do Centro de Climatologia MG Tempo, explica que não é possível monitorar e fazer a previsão do fenômeno, mas alerta: “existe a possibilidade de ele acontecer principalmente nos próximos 3 ou 4 dias”. Isso porque ela é típica do calor das primaveras e comum nas regiões Sul, Oeste, Triângulo e Noroeste de Minas.

Ainda segundo o meteorologista, o fenômeno pode continuar acontecendo até que a temporada de chuvas se intensifique.

Causas

De acordo com Claudemir de Azevedo, meteorologista do Instituro Nacional de Meteorologia (Inmet), o fenômeno é causado por uma diferença de pressão e temperatura, somado ao tempo seco; muita poeira causada pelo longo período de estiagem e fortes rajadas de vento.

Ainda de acordo com Azevedo, além da ventania e poeira em excesso, a tempestade de areia traz também chuva, redemoinhos e a formação de nuvens de rolo. Ele explica que é comum que a ventania anteceda uma tempestade com raios, ventos fortes e até granizo. No Triângulo, as rajadas de vento chegaram a atingir 60 km/h e, em São Paulo, 90 km/h.

Cuidados

Apesar da cena assustadora, os especialistas afirmam que os estragos causados pela tempestade de areia são semelhantes aos de uma tempestade comum; como queda de árvores, corte de energia, baixa visibilidade e muita sujeira. Eles alertam que, ao se deparar com o fenômeno, deve-se procurar um abrigo e esperar a tempestade passar, evitando, assim, acidentes e transtornos.

Leia mais:

BH começa semana com previsão de chuva e pode ter calor de até 34ºC; confira

Chuvas de granizo atingem o Alto Paranaíba e podem ocorrer também no Sul e região Central de Minas