A análise do DNA dos 26 mortos durante operação policial em Varginha, em 30 de outubro, apontou que um dos envolvidos teria participado de um arrombamento à agência da Caixa Econômica Federal em 2017, em Itagipe, no Triângulo Mineiro. 

O nome não foi divulgado pelo Ministério da Justiça e da Segurança Pública (Sejusp), que dviulgou na sexta-feira (12) a descoberta feita por um cruzamento de dados na Rede Integrada de Bancos de Perfis Genéricos (RIBPG).

A rede reúne coletas de material de DNA enviados pela Polícia Federal e pelas corporações estaduais. Na operação em Varginha, é o primeiro caso ligado a crimes anteriores.

Os 26 mortos estariam, segundo fontes policiais, planejando o ataque a bancos da cidade do Sul de Minas, com carros roubados e armas de grosso calibre. A polícia teria descoberto o esconderijo e trocado tiros com eles. Não houve sobrevientes.

Leia também:
Homem ferido em ataque a faca em ônibus na Grande BH segue internado em estado grave
Acidente de ônibus mata seis passageiros em São Paulo