Uma a cada quatro pessoas está com a segunda dose da vacina contra a Covid-19 atrasada em algumas regiões de Minas, informou o secretário de Estado de Saúde, Fábio Baccheretti, nesta terça-feira (15). O número preocupa o governo, que fez um alerta à população.

Para garantir a imunização, é necessário tomar as duas aplicações - apenas a Janssen, que ainda não foi distribuída no país, garante a proteção com dose única. “É importante ressaltar que a vacina diminui casos graves e internação. No entanto, a pessoa vacinada pode contrair a doença, pode transmitir e pode evoluir a óbito”, afirmou o chefe da pasta estadual.

De acordo com Baccheretti, o governo do Estado tem feito campanhas para mudar o cenário. “As nossas regionais vêm, junto aos municípios, tentando fazer essa divulgação ampla em mídias locais”.

Conforme o secretário, esse fenômeno pode acontecer por dois motivos. O primeiro é pelo processo ser diferente do habitual. Contra a influenza, por exemplo, é feita apenas uma aplicação. Além disso, ele acredita que haja um entendimento de certa parte da população de que a primeira dose é suficiente.

“A vacinação só vai cumprir o seu papel para que a gente volte à normalidade quando atingirmos a imunidade de rebanho. Falamos em 70% com duas doses. Estamos longe disso nesse momento”, afirmou.

Questionada pelo Hoje em Dia sobre o total de pessoas que já deveriam ter recebido a segunda dose, a Secretaria de Estado de Saúde (SES) não respondeu até a publicação desta reportagem 

Ao todo, 5,5 milhões de mineiros receberam a primeira dose, o que representa 74% do público-alvo. Deste grupo, 2,5 milhões tomaram o reforço (34%). Os dados são do Vacinômetro, painel de monitoramento da SES.

Leia mais:

Minas apresenta calendário da vacinação contra Covid; veja as datas por faixa etária
Lactantes devem entrar no grupo prioritário da vacinação contra Covid nesta semana, diz secretário
Minas registra mais 9.719 casos de Covid e se aproxima de 1,7 milhão de contaminados