Na manhã da próxima terça-feira (7), a Vale fará testes com as sirenes de alerta em caso de rompimento de barragens de duas cidades da região Central do Estado: Belo Vale e Santa Maria de Itabira. A avaliação do sistema acontecerá de forma simultânea, entre 10h e 11h. O aviso está sendo feito para evitar pânico entre os moradores que ouvirem o sinal na data. 

Conforme informe da mineradora e que foi divulgado pela Coordenadoria de Defesa Civil Estadual (Cedec), em Belo Vale o teste será feito com as sirenes de emergência instaladas para a comunicação com os moradores da zona de autossalvamento das barragens Marés I e II, que estão localizadas no complexo Mina da Fábrica.

"A medida é preventiva e tem como objetivo conferir a eficiência do sistema e ajustá-lo, em caso de necessidade", diz a empresa. O alerta avisa ainda que, ao ouvirem o sinal sonoro, não será necessária nenhuma ação por parte dos empregados ou da comunidade.

"O teste poderá ser ouvido em Fábrica e nas comunidades de Belo Vale", completa o texto. Caso os moradores queiram obter mais informações, a Vale disponibilizou um telefone gratuito: 0800 031 0831. 

Teste em represa

No mesmo dia e horário, será feito o teste das sirenes da represa Santana, que fica localizada na divisa dos municípios de Itabira e Santa Maria de Itabira. O aviso sobre o teste foi divulgado nas redes sociais pela Prefeitura da segunda cidade, que pede à população que espalhe o alerta para o máximo de pessoas possíveis "para que ninguém se assuste sem necessidade".

"O teste acontecerá nas sirenes denominadas San2 e San3, em Santa Maria de Itabira, podendo ser ouvido nas comunidades do Gaspar, Córrego da Lage, Flor do Vale, Cordeiro e Morro Santo Antônio", avisa o executivo. 

O texto reafirma que trata-se de apenas um teste e que, portanto, os moradores dos vilarejos podem seguir normalmente com suas atividades durante o toque da sirene. "A fim de proporcionar tranquilidade para a população, o alerta sonoro não terá mensagem de voz. O teste será realizado apenas com uma música", finaliza o informe da prefeitura. 

A Vale foi procurada pelo Hoje em Dia para comentar sobre os dois procedimentos, mas ainda não respondeu à solicitação. 

Leia mais:
Sem acordo, MP move ação em favor de impactados por barragem em Congonhas
Deputada chama engenheiros de assassinos e critica silêncio em reunião da CPI de Brumadinho
Engenheiros da TÜV SÜD permanecem em silêncio durante sessão da CPI de Brumadinho
Acordo mantém 8 mil empregados na Vale por um ano, mas exclui os indiretos