A volta às aulas presenciais nas escolas de Belo Horizonte começa a ser debatida na próxima segunda-feira. A preocupação com os alunos e com as instituições de ensino foi destacada nesta sexta-feira (18). A data para o retorno, porém, segue indefinida. 

A informação foi dada pelo prefeito Alexandre Kalil, que participou de uma coletiva acompanhado do secretário Municipal de Saúde, Jackson Machado, e membros do Comitê de Enfrentamento à Epidemia da Covid-19, os infectologistas Estevão Urbano, Carlos Starling e Unaí Tupinambás.

“Começamos a tratar agora. Estudos mostram que eles (alunos) não são âmbito de contaminação, mas isso é muito recente. Então, nós estamos acompanhando com o pessoal da ciência. Começamos a conversar e os protocolos também já estão prontos. Eu começo a tratar esse assunto na segunda-feira”, disse.

O secretário de Saúde reforçou que ainda não há previsão. “Tivemos várias reuniões e nós todos queremos a volta, mas nos preocupa a transmissão do vírus na comunidade. Temos uma circulação muito importante. Então não podemos falar uma data, mas acredito que nos primeiros meses do ano que vem teremos uma definição de uma possível volta”, avaliou o representante da pasta.

Machado lembrou que os impactos da falta das aulas presenciais, sofridas pelos alunos. “Por isso, aprovamos a criação das nove equipes de saúde mental para apoiar crianças com problemas psicológicos. É importante que saibamos dos efeitos colaterais que a não ida à escola pode trazer. Mas nossa preocupação primeiro é com a vida”, finalizou.

Leia mais: 
Minas ultrapassa marca de 11 mil mortes pela Covid-19; número de infectados se aproxima de 490 mil
'Ainda bem que ele lembrou que BH existe', rebate Kalil após críticas de Bolsonaro
'Cartãozinho de plano de saúde não é vacina', alerta Kalil sobre festas de fim de ano em BH