O governador Romeu Zema (Novo) usou o Twitter nesta terça-feira (16) para afirmar que aguarda, o quanto antes, o envio de mais remessas de doses de vacina contra a Covid-19 para ampliar a imunização no Estado. 

Zema disse também que o Executivo estadual está em contato com o Ministério da Saúde para garantir o imunizante e que vai se reunir nesta quarta-feira (17) com o ministro Eduardo Pazuello para reforçar o pedido de novas doses e pedir apoio para habilitar leitos de UTI.

"Estamos em contato com o Ministério da Saúde e aguardamos o envio de mais doses de vacinas pelo Gov Federal, o quanto antes, para ampliar a vacinação em Minas. Reforçarei esse pedido amanhã, em reunião com o ministro da saúde.Também pediremos apoio na habilitação de leitos de UTI" (sic), disse Zema.

Em quase um mês de vacinação contra a Covid-19, 396.116 mineiros já receberam a primeira dose e 120.887 as duas doses de vacina, que garantem a imunização contra o novo coronavírus.

Em contrapartida, o Estado registrou nesta terça 811.742 casos confirmados da doença, dos quais 16.903 acabaram em morte. Nas últimas 24 horas, houve 3.049 novos registros de casos e 16 novos óbitos, segundo o boletim epidemiológico.

Ocupação de leitos e suspensão de cirurgias

Para evitar um colapso no atendimento, a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES) anunciou que vai suspender as cirurgias eletivas, aquelas consideradas não essenciais, em todos os municípios mineiros.

De acordo com a pasta, a decisão tem caráter preventivo e a exceção são os pacientes cardíacos ou oncológicos com maior gravidade. Essa avaliação fica a cargo do médico especialista, que deve atestar se o atraso no procedimento representa risco de o paciente morrer.

A decisão está baseada em quatro eixos: cobertura de medicamentos, capacidade de atendimento, incidência e velocidade do avanço da Covid-19. 

Nesta terça-feira (16), a taxa de ocupação dos 4.057 leitos de UTIs no estado chegou a 69,74%. No momento, são 1.342 pacientes internados nesses leitos em decorrência da Covid-19 ou por suspeita da doença. A taxa de ocupação chega a 33,18%.