A 25ª edição da Casacor Minas inaugura um novo momento na história de espaços públicos do Estado até então pouco utilizados ou inutilizados pelos mineiros. Antiga residência oficial dos governadores, o Palácio das Mangabeiras, na Zona Sul de Belo Horizonte, que é sede do evento, será, a partir de agora, equipamento cultural.

"Estamos fazendo uma contrapartida de recuperação de bens históricos tombados. O acervo desta casa tem valor incalculável e está sendo recuperado com base na importância histórica que têm. Eventualmente, teremos eventos pagos, mas a ideia é que tenhamos uma sustentação econômica para o local, administrado pela Codemge (Companhia de Desenvolvimento de Minas Gerais)", reforçou o secretário de Cultura, Marcelo Matte, destacando que pelos próximos seis meses a manutenção do Palácio ficará a cargo da CasaCor. 

O objetivo, de agora em diante, é que o local tenha custo zero para o Estado. "Ainda não entregamos ao público. Mas 99% dos mineiros não o conhecem. Sou da opinião de que o governador é um servidor público. Precisamos enterrar a ideia de que o tratamento tem que ser como o da nobreza. O povo mineiro tem que estar aqui, aproveitar o imóvel. E o mais importante é não custar nada aos cofres públicos", destacou o governador de Minas, Romeu Zema, que abriu mão de morar no local. 

Maior mostra de arquitetura, designer de interiores e paisagismo das Américas, a CasaCor, em BH, terá 60 ambientes assinados por 94 profissionais - número recorde na história do evento. Foram investidos cerca de R$ 10 milhões apenas na área de construção civil. Concebidos pelo paisagista Roberto Burle Marx, os jardins do Palácio das Mangabeiras estão sendo restaurados, assim como toda a parte estrutural e arquitetônica do imóvel. 

A CasaCor Minas será oficialmente aberta ao público na próxima terça-feira (3). O evento, montado no Palácio das Mangabeiras, vai até 13 de outubro. Ingressos para acessar a mostra podem ser adquiridos na bilheteria do local ou pelo site ingressorapido.com.br. A entrada inteira custa R$ 48 e a meia, R$ 30.

Leia mais:
Confira os planos do Estado para o Palácio das Mangabeiras e outros espaços públicos de Minas

Veja galeria de imagens: