Adolescente agredido em escola de BH já passou por duas cirurgias e segue no CTI

Daniele Franco
dfmoura@hojeemdia.com.br
15/11/2018 às 17:12.
Atualizado em 28/10/2021 às 01:51

O adolescente de 17 anos agredido nessa quarta-feira (14) na quadra do Instituto de Educação de Minas Gerais (Iemg) já passou por duas cirurgias para se recuperar do traumatismo craniano que sofreu com a agressão, segundo o tio do rapaz, o servidor público Valter Evangelista de Souza. A ocorrência aconteceu na quadra do instituto, que é uma das escolas estaduais mais tradicionais de Belo Horizonte e fica no bairro Funcionários, região Centro-Sul da capital.

O Hospital de Pronto Socorro João XXIII, onde a vítima está internada, foi procurado mas informou não divulgar o estado de saúde de seus pacientes.

Souza se diz apreensivo sobre o estado de saúde do sobrinho e preocupado com a possibilidade de o agressor não ser punido. "Pessoas de dentro da escola nos confirmaram que o rapaz que agrediu meu sobrinho tem um histórico violento, com várias outras ocorrências assim e sem punição. Meu sobrinho está aqui lutando para sobreviver e esse agressor pode ser solto amanhã", desabafou ao Hoje em Dia. A Secretaria de Estado de Educação foi procurada pela reportagem mas ainda não se manifestou sobre o assunto.

Segundo o tio, o adolescente vítima da agressão saiu da cidade de Minas Novas, no Vale do Jequitinhonha, no começo deste ano para morar com Souza e estudar. O menino, que completa 18 anos no próximo dia 23, perdeu a mãe aos três anos e, desde então, vem sendo criado pelo pai. "Meu irmão me confiou o filho dele, deixou ele aos meus cuidados para que pudesse trabalhar e o menino estudar. É muito revoltante que uma coisa dessas aconteça dentro de uma escola", lamentou.

De acordo com a Polícia Civil, o agressor foi encaminhado ao sistema prisional e autuado por tentativa de homicídio. Ele, agora, aguarda a audiência de custódia, que decidirá se ele permanecerá preso ou responderá ao processo em liberdade. Adriana Eymar, advogada da família da vítima, contou ao Hoje em Dia que a audiência está marcada para esta sexta-feira (16) e os alunos do instituto, colegas do jovem agredido, marcaram uma mobilização para pedir que o suspeito continue preso. "Nossos esforços serão no sentido de converter a prisão em flagrante em prisão preventiva e temos uma série de documentos da escola que provam que ele é um rapaz agressivo e, pela segurança da vítima, deve continuar preso".

Agressão

O jovem de 17 anos foi agredido por um outro de 18 anos durante um jogo de futebol na quadra do Instituto. Segundo a Polícia Militar, o rapaz estava na quadra junto a outros colegas, incluindo o agressor, quando a confusão começou. Testemunhas contaram que um desentendimento levou o jovem mais velho a agredir a vítima, que tentou fugir mas foi perseguida e atingida por um chute nas costas. A força do golpe fez com que o jovem caísse sobre uma escada e cortasse a cabeça no degrau. Os colegas contaram que, ao perceber a gravidade da situação, o agressor também tentou ajudar, mas os colegas do jovem o levaram para a sala dos professores.

O adolescente foi atendido por equipes do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e, segundo os socorristas, estava inconsciente e teve que ser entubado para chegar ao hospital. A PM informou que a vítima sofreu traumatismo craniano foi internada no Centro de Tratamento Intensivo (CTI) do Hospital João XXIII.

O tio do jovem contou que tem rezado para que sobrinho sobreviva, mas a família está preparada para o caso de ele sofrer sequelas. "Nossa esperança é que ele saia dessa vivo".

Compartilhar
Ediminas S/A Jornal Hoje em Dia.© Copyright 2022Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por