Greve dos policiais

Reajuste salarial de 10,6% para servidores públicos custará R$ 4,9 bilhões ao ano a Minas

Clara Mariz
@clara_mariz
11/03/2022 às 12:53.
Atualizado em 11/03/2022 às 13:00

O reajuste salarial de 10,6% para o funcionalismo público de Minas custará aos cofres públicos R$ 4,9 bilhões por ano aos cofres públicos. A informação foi dada pelo governador Romeu Zema (Novo), na manhã desta sexta-feira (11), durante entrevista coletiva concedida à imprensa para tratar das reivindicações dos profissionais da segurança pública, que estão em greve desde o dia 22 de fevereiro. 

Durante a reunião, o chefe do Executivo estadual informou que os funcionários da Saúde e da Segurança Pública receberão, também, o valor do reajuste retroativo a janeiro. O texto substitutivo ao projeto de lei será enviado ainda nesta sexta-feira para apreciação da Assembleia Legislativa e deverá ser analisado em regime de urgência pela Casa. 

Para que a proposta de aumento do salário seja aprovada, será enviado à ALMG um pedido para a retirada da urgência de apreciação do projeto do Regime de Recuperação Fiscal (RRF).

De acordo com Zema, a alteração no PL de reajuste foi feita dentro da Lei de Responsabilidade Fiscal. Ele afirmou, também, que caso os deputados estaduais aumentem o valor, a proposta será vetada. “Não vou jogar fora aquilo que nós conquistamos de forma tão difícil que foi começar a colocar as contas em dia. Eu vou fazer o certo e o que é responsável. O estado de Minas ainda tem uma condição financeira crítica. Se a Assembleia fizer uma proposta de reajuste maior, ela será vetada”, disse. 

Limite

Após a fala do líder executivo, os representantes da Segurança Pública do Estado informaram aos servidores que tudo o que podia ser feito dentro do limite da legalidade foi apresentado. Conforme o secretário de Justiça e Segurança Pública, Rogério Greco, o valor não é o que o governo queria. Ele ainda pediu aos policiais penais retornem à “normalidade” de serviço. 

“Não é o que todos nós queríamos, mas foi o que nós conseguimos. É importante que as tropas entendam que nós precisamos voltar a progredir. Temos que reforçar que a o Sistema Prisional deve voltar a normalidade, para que o serviço aconteça da mesma forma de antes", disse, e completou com uma mensagem à Assembleia. "Ao Legislativo, eu digo que precisamos da aprovação do projeto até o dia 22 de abril”, afirmou Greco. 

O comandante geral da Polícia Militar, Cel. Rodrigo Souza, pediu que os militares compreendam que o reajuste salarial retroativo foi o melhor que pode ser feito. “A população pode continuar contando com a PM. À nossa tropa, eu queria dizer a cada um dos senhores que eu conto com a compreensão de vocês e que reconheçam que todos os esforços foram feitos”, disse. 

Além do governador, também participaram da coletiva a secretária de Planejamento e Gestão do Estado, Luísa Barreto; o secretário de Justiça e Segurança Pública, Rodrigo Greco; o comandante geral do Corpo de Bombeiros, Cel. Edgard Estevo; o comandante geral da Polícia Militar, Cel. Rodrigo Souza; e o coordenador geral da Polícia Civil, Joaquim Silva.

Compartilhar
Ediminas S/A Jornal Hoje em Dia.© Copyright 2022Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por