Se você tem uma conta no Instagram certamente já se deparou, senão com o perfil, com algum repost de conteúdo criado e publicado pelo Astroloucamente. Dedicada a uma astrologia diferente, inusitada, até, a página arrebanhou, até o momento, nada menos que 2,7 milhões de seguidores - dentre anônimos e famosos. 

Com pitada de humor, os conteúdos, que chamam atenção não só pela criatividade, mas pela assertividade com que tratam dos signos do zodíaco, provam que a astrologia brasileira vem, de fato, surfando numa boa onda.

Confira entrevista de Maria Talismã, potiguar de 25 anos por trás do perfil, ao Hoje em Dia.

ENTREVISTA:

Maria Talismã - criadora do perfil Astroloucamente, no Instagram

Alguns astrólogos criticam conteúdos divulgados na internet, afirmando que não são sérios, que são pouco confiáveis. Qual a sua opinião a respeito? 
Apoio totalmente quem acha isso. Mas tenho a consciência tranquila porque crio conteúdo de humor, mas com verdade. Não são coisas aleatórias. Muita gente realmente acaba se aproveitando da fé, da inocência das pessoas, para brincar. São páginas que só querem seguidores e dinheiro.

Que conteúdos as pessoas mais te pedem?
Elas se preocupam muito com a questão amorosa, qual signo combina com qual, o que fazer para conquistar o outro. É o carro-chefe. Outra questão que pedem muito são assuntos mais didáticos da astrologia. Tenho um quadro que chama alfabetização astrológica, no qual ensino tudo de maneira simples, objetiva e direta, o significado dos planetas, das casas astrológicas, a importância do mapa astral. 

Seus posts geram muito engajamento, entre famosos, inclusive. Como é a relação com eles? Fazem “encomendas”, mandam mensagens no privado?
Com o passar do tempo, os posts começaram a viralizar e os famosos foram conhecendo a página. Alguns dos mais legais são Cleo Pires, Grazi Massafera, as irmãs Minerato (Tati e Ana Paula), Thiaguinho, Sabrina Sato, Larissa Manoela. São alguns dos que já conversei por direct. Mas não gosto muito de comentar sobre isso. Não gosto de me vangloriar. Fico feliz quando famosos me seguem. Sou seguida por Anitta, Juliana Paes, Sasha, Bruno Gagliasso, Selton Mello, Fernanda Lima. E já fiz o mapa astral para a Larissa Manoela.

Dá para ganhar dinheiro com o Instagram? 
Traz retorno financeiro sim, mas não é estável. O retorno vem com publicidades e anúncios. Outra forma, muitas vezes melhor, é quando empresas me procuram para criar conteúdos específicos para elas. Por exemplo: a 99Pop (aplicativo) me pediu que fizesse o motorista e o passageiro de cada signo. Gravadoras também já fizeram encomendas, como a Warner, da Anitta, a Universal... Recentemente, fiz um trabalho para o Kevinho e para a Disney, que estava divulgando Malévola. 

Embora seja uma renda instável, como você falou, quanto dá para ganhar num mês?
Em torno de R$ 12 mil. Em meses melhores, até R$ 24 mil. Acabo tendo um rendimento que não teria na docência. Foi por isso que optei por me dedicar 100% ao Astroloucamente.

Astrologia Astroloucamente, perfil no Instagram
Imagem do Astroloucamente é a única referência para quem segue o perfil no Instagram; potiguar por trás dos conteúdos prefere manter o anonimato

Como é sua rotina de trabalho?
​Tinha em mente que ia concluir o mestrado, fazer o doutorado e seguir a carreira acadêmica, como professora universitária, mas, com o crescimento da página, decidi me dedicar 100% à página. Não vejo mais como hobby. É realmente um trabalho. Acordo cedo, entre 7h e 8h, e começo criando os conteúdos. Todos os dias, são de 12 a 16 posts. Meio-dia paro, tiro uma sonequinha, e, por volta das 14h, começo a ler. Tenho um acervo muito grande de livros de astrologia. Separo duas a três horas por dia para isso. É de onde surgem as ideias para conteúdos. Deixo tudo anotado, organizado para no outro dia começar a criar de novo.

Quais são seus planos para o futuro?
Não gosto muito de comentar porque prefiro que as coisas aconteçam. Os seguidores ainda não sabem, mas estou escrevendo um livro de astrologia bem diferente. Não gosto de fazer o que todo mundo faz. Tem que dar a cara a tapa e buscar novos caminhos. Em breve também vou criar uma lojinha on-line com os produtos do Astroloucamente: camisas, canecas. Tudo de um jeito bem diferente.

Pensa em criar conteúdos pagos, personalizados?
Ainda não parei para pensar. Teria que ser uma coisa interessante. As pessoas, muitas vezes, vão com muita sede no dinheiro, mas gosto de ter os pés no chão. Algumas pessoas também estão me ajudando a criar um site para ver os produtos da lojinha e o livro, além de alguns conteúdos diferenciados. 

Leia mais:

Astrologia em alta nas redes: cresce consulta aos astros no ambiente digital

Ho'oponopono: fácil de ser praticada, filosofia havaiana livra a memória de lembranças ruins

Reiki, a terapia do agora: método trabalha o presente para buscar equilíbrio de corpo e alma