Impulsionado pelas redes sociais, onde não faltam perfis e conteúdos sobre o tema, o mercado de astrologia vem saboreando, senão o melhor, um dos melhores momentos desde que deixou a exclusividade das páginas dos jornais e revistas para navegar também pela internet. 

Prova disso é a variedade de informação – maioria personalizada, diga-se de passagem – que pode ser facilmente consumida, de graça, inclusive, em sites e contas no Facebook, Instagram e no YouTube. Um dos portais mais populares, criado há 15 anos, o Personare, por exemplo, prova que o interesse pelo assunto realmente mudou. 

Faturamento

De 2017 para 2018, o faturamento da plataforma, que mescla material gratuito e pago, cresceu 18%, revela uma das diretoras da empresa, Carolina Senna, que, ao lado de dois sócios, dedica-se exclusivamente ao negócio. Para ela, o sucesso que pega carona nos astros tem relação com a indi-vidualização dos produtos e com um olhar mais atento e interessado das pessoas para o autoconhecimento.

“A popularização da internet trouxe a possibilidade de as pessoas usarem com mais profundidade os conteúdos, de entenderem a astrologia com mais seriedade. Também há uma ligação com o contexto social, com a economia e a política. Todos querem entender melhor a própria vida, querem se conectar com o que vai acontecer a si mesmos”, justifica. 

“A astrologia já teve uma pegada interpretativa, meio de ‘viajação’. Hoje é técnica, ciência. É preciso ter e dar respostas práticas” - Adriana Affonseca, astróloga em BH

Entre anônimos e famosos

No Instagram, sucesso entre quase 3 milhões de usuários é o perfil Astroloucamente – gerenciado e alimentado por uma potiguar de 25 anos, que não se identifica para ninguém (leia entrevista no fim da matéria). A conta é um dos parâmetros para se confirmar a dimensão alcançada pela astrologia recentemente. 

Mais do que a curiosidade de pessoas, digamos, “comuns”, a página atrai dezenas de famosos, que curtem, compartilham e até encomendam conteúdos exclusivos por meio de mensagens privadas. 

“Queria fazer algo diferente, que trouxesse a astrologia de verdade, mas com uma pitada de humor”, conta a astróloga Maria Talismã, que tem nos cerca de 300 livros da biblioteca particular a principal fonte de inspiração. 

Confira entrevista de Maria Talismã ao Hoje em Dia.

Astrologia Adriana Affonseca, astróloga

Astróloga de BH, Adriana Affonseca diz que as pessoas têm buscado conteúdos práticos; com o aumento da demanda, profissional já pensa em ampliar a equipe para "dar conta do recado"

A belo-horizontina Adriana Affonseca também vem tendo uma produtiva colheita na área em que decidiu atuar há mais de duas décadas. O desafio, agora, é incrementar os produtos oferecidos, que, antes, se concentravam no tradicional mapa astral e na revolução solar – o ano astrológico de cada um. 

“As pessoas, hoje, querem respostas rápidas, buscam ter mais clareza do que vieram fazer no mundo”, afirma a profissional, que já estuda contratar uma equipe para atender a aumentada demanda. 

A equipe do Personare é formada por 30 profissionais contratados e cerca de 70 parceiros, os curadores de conteúdo; a sede da empresa é no Rio de Janeiro

Leia mais:

Ho'oponopono: fácil de ser praticada, filosofia havaiana livra a memória de lembranças ruins

Reiki, a terapia do agora: método trabalha o presente para buscar equilíbrio de corpo e alma

Grafologia revela traços da personalidade e ajuda até em seleção para vaga de emprego