Largo e bem espaçoso ou compacto, mas repleto de detalhes. Sonho de consumo de muita gente, os closets são ambientes cheios de personalidade, capazes de guardar um arsenal de peças ou acomodar uma coleção mais enxuta. Mas independentemente das características, uma coisa é certa: devem ser bem planejados para cumprir a função a que se destinam.

Ponto de partida de qualquer projeto bem feito é o “estudo de caso”. Arquiteta e designer de interiores, Gislene Lopes explica que conhecer o gosto e as peças do guarda-roupa ajuda a traçar o caminho certo. “Algumas pessoas gostam de tudo dobrado, em gavetas, outras preferem as peças ao alcance dos olhos, no cabide. Há mulheres que têm muito salto, outras com mais rasteirinha”, justifica.

A dica da profissional para adequar os compartimentos ao acervo disponível é trabalhar em parceria com um personal organizer. Especialista em arrumar e otimizar o uso dos espaços, o profissional será capaz de elaborar o melhor plano para atender cada pessoa, sobretudo se a quantidade de peças for grande demais. 
Independentemente das peculiaridades, entretanto, alguns tipos de divisórias são fundamentais em todo closet que se preze. Cabideiros para longos e curtos, gavetas, espaço para acessórios, além de sapateira e prateleiras ajudam a organizar e permitem a distribuição adequada em qualquer tamanho de armário. 

Medidas-padrão

Na hora de reformar, a dica da arquiteta Maluh Amorim é ficar de olho nas medidas-padrão, que proporcionam conforto, muito mais do que somente beleza. Segundo ela, a área mínima ideal para um closet é de quatro metros quadrados – sendo 7o centímetros para circulação. “É o mínimo para uma pessoa ficar em pé”, enfatiza a profissional. 

Quem quer ter tudo como no sonho também pode apostar nos projetos feitos em marcenaria. “Sob medida, atendem anseios e necessidades individuais”, garante a arquiteta.
Para quem gosta de praticidade, a sugestão são os móveis planejados, que, embora pouco flexíveis, ajudam a economizar.

Antigo x moderno

Se, por um lado, existem itens fundamentais, por outro há os que podem ser riscados de qualquer projeto. Muito usados no passado, os maleiros, por exemplo, foram abolidos dos espaços modernos. A “moda”, agora, é armazenar itens de pouca utilidade, requisitados com menos frequência ou objetos grandes nas partes mais baixas dos armários. 

"Hoje em dia, aproveita-se tudo, até mesmo os cantos. Se mantemos o maleiro, acabamos entulhando o armário com objetos desnecessários. O melhor, para quem ainda faz questão, é usar as partes aéreas para armazenar travesseiros ou cobertores. É possível, sim, compatibilizar um closet para objetos pessoais e de casa”, explica Gislene Lopes. 

Setorização por tipo de uso garante ordem e facilita rotina 

Expert em deixar tudo nos trinques, a organizadora profissional Letícia Cordeiro chama a atenção para a adequação do espaço ao estilo de uso do morador. Segundo ela, criar uma lógica individualizada de arrumação, baseada na rotina, ajuda não só a manter o closet bonito e bem arrumado como facilita e até estimula o uso de todas as peças. 

O ideal, ensina a mineira, especialista em gestão residencial, é agrupar roupas e acessórios por tipo de uso, sobretudo se o armário for fechado. “Portas de correr se sobrepõem ao serem abertas. É interessante, neste caso, organizar o conteúdo por categoria para evitar o abre e fecha o tempo todo”, detalha, indicando a escolha de um canto único para peças de trabalho ou de ginástica, por exemplo. 

Gavetas: tem que ter!

Outra sugestão da profissional é apostar nas gavetas – curinga da organização. Nelas, cujas dimensões devem ser bem planejadas para terem a serventia correta, podem ser guardadas camisetas e até calças dobradas, dependendo do gosto do dono do armário. Caso não haja muito espaço para elas, a sugestão é investir em cestos e acomodá-los sobre prateleiras ou nichos.

“Retos e com profundidade e largura total da prateleira farão as vezes de uma gaveta”, enfatiza Letícia. Empilhadas, blusas devem ser armazenadas em espaços com 20 a 30 centímetros de altura (para não tumultuar o armário) e 40 a 50 de profundidade (para não amassarem). Materiais transparentes, como acrílico, aumentam a funcionalidade de cestos e gavetas. 

Sapatos

Quebra-cabeça para muita gente, a organização dos calçados é um desafio à parte. Embora não haja regras para organizá-los – podendo ser acomodados lado a lado, com um pé à frente e outro atrás ou em organizadores de elevação, empilhados, é fundamental pensar numa lógica a favor da rotina. “Colocar tudo num espaço único, contínuo, facilita na hora de se arrumar”, observa a especialista em gestão residencial. 

Confira algumas dicas:

Closets

FECHADO? A escolha do layout perfeito vai depender do uso que se faz do espaço e do ambiente onde está inserido. Acima, no projeto da arquiteta e designer de interiores Gislene Lopes, foi feita a opção pelo vidro, refletivo, que protege roupas e acessórios do excesso de poeira, mas permite a visualização de todo o conteúdo

Closets

OU ABERTO? Closets como o da foto acima, isolados do restante da casa, podem ser construídos sem portas, mas obrigam o dono a manter a organização e a limpeza em dia, ressalta a profissional

Closets

LIBERDADE PARA GUARDAR - Bandejas móveis, como a escolhida pela cliente de Gislene Lopes, são uma estratégia inteligente para armazenar acessórios como óculos e relógios. Acomode-as em prateleiras e nichos

Closets

TEM QUE TER - Prateleiras são indispensáveis em qualquer closet, pois permitem acomodar roupas dobradas, caixas organizadoras ou mesmo itens de perfumaria – escolha feita no projeto ao lado

Closets

NUM ÚNICO ESPAÇO - Ao escolher a sapateira, leve em conta o estilo dos calçados mais utilizados. Sandálias de salto e botas exigem espaços maiores, já as rasteirinhas se acomodam em dimensões reduzidas. Bolsas também precisam ser “estudadas”, mas quanto mais disponíveis ficarem, melhor

Closets

NO DEVIDO LUGAR - Divisórias, como as colmeias usadas acima, facilitam a organização das gavetas e ajudam a setorizar roupas e acessórios, como biquínis e meias: “além de verticalizarmos as peças, conseguimos saber onde cada uma deve ser guardada”, ensina a organizadora profissional Letícia Cordeiro 

Closets

SETORIZAÇÃO - Quanto mais delimitado for o espaço destinado a cada tipo de peça, como calças jeans e ternos, melhor ficará a organização do closet. Prateleira instalada entre um espaço e outro dá liberdade para guardar bolsas, mochilas ou outros acessórios

Closets

TAMANHO CERTO - Atenção à profundidade ideal para acomodar camisas corretamente: 60 centímetros é o mínimo para não amassá-las quando penduradas em cabides. Se o armário tiver porta, considere pelo menos 5 centímetros extras. Espaço que “sobra” pode ser utilizado para guardar peças dobradas ou pequenos objetos

Leia mais:

Parece, mas não é! Materiais 'fake' substituem com louvor originais refinados e caros

Com o piso certo: escolha do revestimento deve considerar local de instalação e uso

Conforto sob os pés: tapetes devem ser escolhidos pelo tamanho do espaço e função esperada