Muito se discute sobre a originalidade das criações da moda, especialmente no momento em que o mundo opera no Ctrl C + Ctrl V. No entanto, é possível beber em fontes antes exploradas com louvor (ou nem tanto) na hora de conceber novas coleções. Provas disso foram os desfiles das marcas nas semanas de moda de Nova York, Londres, Milão e Paris, ocorridas no último mês.

Teve até ombreira! Sim, a persona non grata da década de 1980. Desde 2017, as almofadas sob as mangas já vinham flertando com as passarelas, lembra o trend hunter e professor do curso de Moda do Centro Universitário UNA, Aldo Clécius.

“Os ombros largos, que já tinham aparecido antes, começam, agora, a chegar ao público. A imagem do girl power, da mulher executiva, dominou a passarela”, observa. 

Versace 2019

Versace - Em coleção repleta de referências à própria marca – incluindo vestido icônico usado por Jennifer Lopez em 2000 –, sensualidade e brilho tomaram conta da catwalk

Nas semanas de moda, ficou claro que as referências de quatro décadas atrás se tornaram mais literais. Até as roupas que não têm ombreira são costuradas de maneira a avolumar o tronco feminino. Exemplos são os lançamentos de Tommy Hilfiger e Michael Kors, na Big Apple; os de Versace, em Milão; e Valentino, em Paris.

“Os shapes são longos, próximos ao corpo. A silhueta predominante é triângulo invertido. Sequinha embaixo e volume em cima”, destaca Aldo.

Valentino 2019

Victoria Beckham - Em coleção fluida e até colorida (a estilista prefere os neutros), a ex-Spice Girl apostou em inspirações da passagem da década de 1970 para 1980

Outras trends

Mas nem só de ombreira viveremos durante o Verão 2020. Mesmo porque os anos 90 também serviram de inspiração para os estilistas mais badalados do planeta.

“Um mix de sensualidade e logos, franjas, alfaiataria, rendas, e shapes de sportswear. A moda começou a ficar mais complexa com mistura de estampas, de texturas, de materiais e muita coisa inspirada em arte ou estampas mais artísticas. Esse desejo lúdico de fugir um pouco da realidade e se divertir com a roupa”, coloca o trend hunter.

Tory Burch

Tory Burch - As criações da americana são pura referência aos anos 80. Estampas florais pequenas e laços grandes arrematam camisas de mangas bufantes

As coleções de Tory Burch e Carolina Herrera que o digam. Estampas miúdas de folhagens, florais abstratos e muitos, mas muitos, babados, fru-frus e laços enormes.

Peças que trazem à memória (para quem está na casa dos 40 anos) o clássico filme “Uma Secretária de Futuro” (1988). No longa, Tess McGill (Melanie Griffith) investe em novo visual, no momento em que ambiciona subir na carreira.

Leia mais:

Bota cor nessa make! Saia da 'caixinha' e experimente os tons do arco-íris

Moda é tema de festival de documentários em BH neste fim de semana; confira a programação

Arco-íris

Em relação às cores, o arco-íris está posto para quem quiser escolher seu tom. Enquanto algumas marcas apostaram nos neutros, outras preferiram explorar o multicolorido.

“Pastéis em tons Tiffany (azul claro), laranja, amarelo, rosa, azul e lavanda. Sendo que essas mesmas cores se repetem em tons vibrantes de verde, roxo, azul e laranja quase fluorescente. Calma e energia são as palavras-chave. O marrom e os tons terrosos começam a aparecer, mas devem vir forte somente no Inverno 2021”, prevê Aldo Clécius.