Votos da esquerda

Candidatura de Duda Salabert ao Senado ganha força com recuo do PT e Reginaldo Lopes

Hermano Chiodi
hcfreitas@hojeemdia.com.br
18/05/2022 às 19:15.
Atualizado em 18/05/2022 às 20:51
 (divulgação / @mario_heringer)

(divulgação / @mario_heringer)

A desistência do deputado federal Reginaldo Lopes (PT) de disputar a eleição ao Senado colocou novamente em foco o nome da vereadora de Belo Horizonte Duda Salabert (PDT) para a disputa do cargo nas próximas eleições.

Conforme a vereadora afirmou ao Hoje em Dia, a ausência de nomes tradicionalmente vinculados à esquerda na disputa ao Senado a tem levado a considerar a possibilidade. "É importante ter alguém do campo progressista nesta disputa, até por entender o cenário político atual", destacou Duda.

A indicação para o Senado tem, de acordo com Duda, o apoio do presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, e do presidenciável pedetista, o ex-governador cearense, Ciro Gomes. Para o governo, o PDT lançou a pré-candidatura do ex-deputado federal Miguel Correa.

Duda destacou a possibilidade de crescimento nas pesquisas como postulante ao Senado depois que o PT decidiu por abrir mão da disputa do cargo, como forma de possibilitar uma aliança com o PSD, do ex-prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil, na eleição ao governo estadual.

“Eu sempre estive bem colocada nas pesquisas de avaliação de voto, mesmo com a presença do deputado Reginaldo Lopes. Com a retirada dele, acreditamos que parte desses votos possam migrar para uma candidatura encabeçada por mim”, avaliou.

Segundo ela, nenhum outro nome apresentado até o momento representa as propostas de esquerda. “As candidaturas que estão apresentadas são todas de direita ou de extrema direita, alinhadas ao bolsonarismo (presidente Jair Bolsonaro), isso torna necessário um nome com as propostas que eu represento”, disse.

Atualmente, estão pré-colocados para a disputa ao Senado os nomes de Alexandre Silveira (PSD) – que busca a reeleição ao cargo de senador e compõe a chapa do ex-prefeito Alexandre Kalil –; do deputado federal e ex-ministro de Jair Bolsonaro, Marcelo Álvaro Antônio (PL), que é apoiado pelo senador Carlos Viana; e um nome da base do atual governador Romeu Zema (Novo), que deve ser preenchido pelo deputado federal Marcelo Aro (PP) ou pelo ex-secretário estadual, Matheus Simões (Novo).

O senador Alexandre Silveira busca reeleição e faz parte da chapa que tem apoio do PT e do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, porém, o senador mantém proximidade com lideranças bolsonaristas e já foi cotado, inclusive, para ser líder do presidente Jair Bolsonaro no Senado.

O candidato que representava esse campo progressista, conforme definição da vereadora, era o do deputado federal petista, Reginaldo Lopes. Porém, sua candidatura foi abortada para que fosse possível firmar uma aliança entre o PT e PSD. 

O PT tinha o nome de Reginaldo Lopes e o PSD defendia o direito de Alexandre Silveira tentar a reeleição, e nenhum dos dois partidos estava disposto a ceder a vaga e isto estava dificultando o acordo, que interessa tanto ao ex-presidente Lula quanto ao ex-prefeito da capital, Alexandre Kalil.

Contudo, neste fim de semana, após um encontro entre Kalil e Lula, realizado em São Paulo, avançou a negociação de um acordo que incluiu a vaga de vice-governador para o PT em troca da preferência do PSD para lançar a candidatura ao Senado.

Perfil

Duda Salabert é professora de Literatura, ambientalista e ativista da igualdade de gênero. Em 2018 se notabilizou ao ter se tornado a primeira pessoa transgênero a se candidatar ao cargo de senadora da República. Na época filiada ao Psol, ela obteve 351.874 votos, mas não foi eleita. Em 2020, Duda Salabert foi eleita vereadora de Belo Horizonte, pelo PDT, sendo a mais bem votada da história com 11,9% dos votos. 

Leia mais:

Compartilhar
Ediminas S/A Jornal Hoje em Dia.© Copyright 2022Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por