O cenário de instabilidade política e a descrença do brasileiro após seguidos escandâlos de corrupção, como os descobertos na operação "Lava Jato",  fizeram com que o número de votos brancos e nulos fosse um dos mais altos da história do país.  Em Belo Horizonte, não foi diferente. O número de eleitores que votou em branco, se absteve ou anulou o voto no segundo turno eleitoral foi praticamente o mesmo do primeiro turno. 

No pleito do último dia 2,esses cenários (brancos, nulos e abstenções) representaram 38,4%, de um total de 741.915 votos. No segundo turno, o  percentual praticamente se manteve.

 Se na votação do último dia 2, João Leite (PSDB) saiu na frente na disputa pela prefeitura da capital mineira, neste domingo (30), os apoios conquistados pelo candidato tucano não foram revertidos em votos, segundo avalição do doutor em ciência política e professor da PUC-MG Malco Camargos. 

"João Leite teve um pouco mais de votos no segundo turno do que no primeiro. Mas todo o apoio político conquistado por ele não se somou em votos no segundo turno. Nesse sentido, Alexandre Kalil (PHS) conseguiu contabilizar mais votos a seu favor", avalia Camargos. 

Após a confirmação da vitória de Kalil  em Belo Horizonte, João Leite comentou, inclusive,  o alto índice de votos brancos, nulos e abstenções. "Isso mostra um distanciamento da população da política. A política não pode ser negada porque a democracia se dá no ambiente da política. A negação da política propaga o autoritarismo e o preconceito. Espero que em BH isso não aconteça", afirmou.

Nacional

Malco Camargos também explica que a descrença do eleitor brasileiro em relação aos esquemas de corrupção contribuiu para o alto valor de votos brancos, nulos e abstenções. "Essa foi uma tendência nacional, com um número mais alto neste ano quando comparamos com eleições anteriores", afirmou Camargos. 

Resultados em Minas

Em Belo Horizonte, Alexandre Kalil foi eleito prefeito com 52,98% dos votos contra 47,02% de João Leite. Em Contagem, na região metropolitana da capital, Carlin Moura (PCdoB) não conseguiu se reeleger. Alex de Freitas (PSDB) venceu no segundo turno com 72,96% dos votos contra 27,04% do atual prefeito. 

Em Juiz de Fora, na Zona da Mata mineira, Bruno Siqueira foi reeleito com 57,87%. Em Montes Claros, no Norte de Minas, o novo prefeito será Humberto Souto (PPS), eleito com  65,31% do votos.

Leia mais:

Kalil comemorou a vitória e disse que sabe a responsabilidade que vai assumir

João Leite se pronuncia após derrota em BH

Veja quem foi eleito nas 18 capitais com segundo turno