Todo fabricante tem momentos de grande inspiração de design e fases que merecem ser esquecidas. Basta o amigo conferir nosso teste do Hyundai Creta para entender do que estamos falando. Mas fato é que a BMW vive um momento não muito feliz em sua veia de criação. 

Depois de se recuperar da era Chris Bangle, projetista que deu vida a modelos polêmicos como Série 7 (E65), nos anos 2000, ela voltou a apostar em formas questionáveis. Desde o ano passado ela voltou a polemizar com estilo pouco agradável da nova geração do Série 4, que se ramificou para os esportivos M4 e M3, assim como o elétrico i4. Agora ela apresenta um novo estudo ousado, mas bem mais agradável aos olhos.  

A BMW levou para a mostra Art Basel’s 2021, em Miami, o conceito XM. Trata-se de um SUV futurista que marca os 50 anos da divisão esportiva BMW M. Com formas retilíneas, faróis afilados e a grade de duplo rim emoldurada por filete de LED, o XM indicará os caminhos para futuros modelos da marca.

Um detalhe interessante está na traseira. O teto do XM se rebaixa e forma dois ressaltos nas laterais, onde são aplicados a logo da BMW. O desenho remete à traseira do icônico M1, que tinha as extremidades elevadas para abrigar os escudos da Casa de Motores da Bavária.
  
V8

Mas não se trata de um estudo estático. O XM é funcional. Segundo a BMW, o jipão é equipado com motorização híbrida. Ele conta com o conhecido V8 biturbo 4.4, combinado com um módulo elétrico. O resultado são 750 cv e 100 kgfm de torque. O motor é combinado com uma transmissão automática de oito marchas. A transmissão é integral.

O interior do XM revela que o conceito pode ser conduzido. O carro oferece instrumentação completa e elementos convencionais, que geralmente são eliminados dos estudos conceituais.

Dessa forma, o XM indica como poderá ser o futuro quadro de instrumentos adotado pela marca. Ele conta com visor de tela dupla, semelhante ao que a Mercedes já utiliza.

Uma terceira tela foi adicionada ao lado dos difusores de ar. Botão de partida, freio de estacionamento, e o joystick do multimídia, ficaram posicionados num mesmo módulo.

Assim, o XM indica um caminho futuro para identidade visual para a marca da grade de duplo rim, esse elemento que é o ponto focal da BMW desde seus primórdios, há quase 100 anos. 

Confira também!

Leia Mais:
Teste: Hyundai Creta Ultimate é feio, mas tem conteúdo