Belo Horizonte vai às urnas neste domingo (15), das 7h às 17h, para o maior pleito eleitoral da sua história. Ao todo, 1,9 milhão de eleitores terão como opções 15 candidatos a prefeito da capital, número recorde. 

Pesquisa feita pelo Ibope, divulgada na última segunda-feira (9), apontou o atual prefeito, Alexandre Kalil (PSD), com larga vantagem na tentativa de reeleição: 62% das intenções de voto, o que garantiria a vitória ainda no 1º turno.

Em segundo lugar na disputa, de acordo com o mesmo levantamento, aparece João Vitor Xavier (Cidadania), com 7%; acompanhado de perto por Áurea Carolina (PSol), que obteve 5%; e Bruno Engler (PRTB), 4%.

O horário de votação foi ampliado por conta da pandemia. Os eleitores poderão comparecer às urnas de 7h às 17h. Importante destacar que entre 7h e 10h é preferencial, para pessoas acima de 60 anos

Reeleição

Desde a possibilidade de reeleição no país, em 1998 – há 22 anos –, os três prefeitos de Belo Horizonte que tentaram a recondução ao cargo alcançaram êxito.

O primeiro foi Célio de Castro (PSB), que, apesar de reeleito em 2000, renunciou no ano seguinte, por motivo de saúde. Fernando Pimentel (PT), vice dele, assumiu a prefeitura da capital à época, e também conseguiu se reeleger, em 2004.

Vitória no 1º turno

Marcio Lacerda (PSB), sucessor de Pimentel, foi o único prefeito da metrópole a se reeleger ainda no 1º turno, em 2012. Para repetir o feito, Alexandre Kalil precisará conquistar 50% dos votos válidos, mais um voto. “Você tira todos os brancos e nulos e o que fica são os válidos”, esclarece o cientista político Rudá Ricci.

“A forma como ele (Alexandre Kalil) vem se articulando, com parte do centro e parte da esquerda, o fortalece muito”, analisa o cientista político Rudá Ricci

De olho na Câmara

O número de candidatos que disputam as 41 vagas na Câmara Municipal também é elevado. Dos 1.559 inscritos no Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MG), 1.494 foram autorizados a concorrer. Projeção feita pelo Hoje em Dia aponta que pode ocorrer uma renovação de até 60% no Legislativo.

Arte candidatos