O surto do novo coronavírus, que já matou 213 pessoas na China e infectou mais de 9,7 mil pessoas no país, tem levado consumidores belo-horizontinos a uma corrida à procura de máscaras nas principais distribuidoras de produtos e equipamentos cirúrgicos. Várias lojas e farmácias já estão com o estoque esgotado ou quase no fim e os preços já dispararam no mercado, em alguns casos com variações superiores a 100%. O Brasil já tem nove casos suspeitos, registrados em Minas (1), Rio de Janeiro, (1), Rio Grande do Sul (2), São Paulo (3), Paraná (1) e Ceará (1).

Na quinta-feira (30), uma pequena loja na região de Venda Nova vendeu as 16 unidades da máscara N95 PFF2, da marca Descarpack, um produto mais reforçado, muito usado na proteção contra a tuberculose. "Recebi a ligação de um rapaz na Bahia que queria 50 caixas, que vem 400 unidades em cada uma, ou seja, o equivalente a 20 mil unidades. Liguei para  vários distribuidores em São Paulo e ninguém tinha mais. Só um deles vendeu 50 mil caixas, conta a encarregada de compras M.G.L., que preferiu não se identificar.

"Achei intrigante. Não estamos conseguindo comprar. Hoje, vou tentar fazer a aquisição do produto diretamente na fábrica, no Rio Grande Sul, mas acho que não vou conseguir adquirir nada", afirma.

A Cirúrgia Gervásio, na região hospitalar de Belo Horizonte, vendeu ontem todo o estoque de 200 unidades. "A procura tem sido muito grande, principalmente de pessoas que vão viajar. Tanto é que nem nos fabricantes está tendo mais o produto", conta  a vendedora Renata Cristina.

Na Cirúrgica Carmo, também na região hospitar, desde segunda-feira a máscara N95 desapareceu no estoque. "De cada 15 clientes que entram na loja, dez estão procurando a máscara. Conseguimos encomendar para a semana que vem, mas o preço, que era R$ 4 a unidade, já saltou para R$ 8. Nos concorrentes, tive informações que já estão vendendo até por R$ 15,90", conta o vendedor Rodrigo Garofalo Menezes.

Os Estados Unidos confirmaram ontem o primeiro caso de contiminação interna. O Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) informou que trata-se de uma pessoa que conviveu com uma  mulher de Chicago, que havia viajado para Wuhan, província de Hubei, na China.

Também nessa quinta-feira, a Organização mundial de Saúde (OMS) considerou a epidemia originada em Wuhan como emergência de saúde pública internacional.

Leia também:
Testes de outras doenças em mineira internada com suspeita de coronavírus dão negativo
China tem mais de 200 mortos em consequência do coronavírus
Fiocruz recebe material genético para apurar teste de coronavírus
OMS declara estado de emergência global em razão do coronavírus
Vacina desenvolvida nos EUA poderá impedir propagação do coronavírus