Comissão de Segurança Pública aprova homenagem a policiais envolvidos na operação em Varginha

Clara Mariz
@clara_mariz
03/11/2021 às 19:29.
Atualizado em 05/12/2021 às 06:11
 (Sarah Torres / ALMG)

(Sarah Torres / ALMG)

A Comissão de Segurança Pública da Assembleia Legislativa de Minas (ALMG) vai homenagear os policiais militares e rodoviários federais envolvidos na operação realizada em Varginha, no Sul do Estado, no último domingo (31), que resultou na morte 26 pessoas suspeitas de integrar de uma quadrilha do “Novo Cangaço”. A decisão foi anunciada pelo presidente da comissão, deputado Sargento Rodrigues (PTB), na tarde desta quarta-feira (3). 

De acordo com a publicação feita nas redes sociais do deputado, o requerimento para a entrega do voto de congratulações aos militares recebeu apoio de outros quarenta parlamentares.  A solicitação foi apresentada durante a reunião da comissão desta quarta-feira. 

Além da homenagem, outros três requerimentos sobre a operação dos policiais no município mineiro foram aprovados. O primeiro, solicita a ida da Comissão de Segurança Pública a Varginha, para uma visita técnica aos locais relacionados à suposta organização de assaltos a bancos.  A segunda demanda requer que a Polícia Civil e a Promotoria de Justiça de Combate ao Crime Organizado e de Investigação Criminal do Ministério Público dê prioridade para a investigação da origem dos recursos financeiros, do armamento e dos veículos utilizados pelos suspeitos. 

A comissão solicitou, ainda, que as polícias Civil e Federal de Minas Gerais e de Rondônia investiguem e identifiquem a origem de recursos usados para fazer o transporte do corpo de um dos homens mortos durante a operação. 

Celebração à Polícia

Durante a sessão da Comissão de Segurança Pública, da ALMG, nesta quarta-feira (3), os deputados parabenizaram os policiais que participaram da operação. Os parlamentares também mostraram desagrado em relação à investigação que a Comissão de Direitos Humanos da casa instaurou para avaliar as condições da ação. 

O deputado Bruno Engler (PRTB) afirmou que a decisão da Comissão dos Direitos Humanos não reflete a opinião de todos os parlamentares da Assembleia. “Uma deputada veio dizer que quer investigar, que a Comissão de Direitos Humanos vai investigar, e então toda a Assembleia Legislativa de Minas está contra a polícia? Toda a Assembleia está defendendo vagabundo? Não, essa casa não defende vagabundo”, afirmou. 

Gustavo Santana, deputado eleito pelo Partido Liberal, considerou absurdo o pedido de apuração sobre as condições da operação. “Muito me preocupa porque eu já vi publicação de colega deputado daqui dessa casa querendo que os Direitos Humanos aqui da comissão investigassem aquela ação. Isso é um absurdo, um absurdo. Eu estarei na Comissão de Direitos Humanos todos os dias para poder posicionar aquilo que nós mineiros e mineiras queremos que é segurança pública. A ação daqueles policiais foi a ação certa. Ação que salvou vida”, afirmou.

Compartilhar
Ediminas S/A Jornal Hoje em Dia.© Copyright 2022Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por