A CPI da Barragem de Brumadinho, instaurada na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), vai ouvir nesta segunda-feira (8) trabalhadores da mineração atingidos pela tragédia.

Em audiência marcada para as 14h30, no Plenarinho IV da ALMG, a comissão irá colher depoimentos de dirigentes do Sindicato dos Trabalhadores da Mineração (Metabase) e do Fórum dos Trabalhadores Diretos e Tercerizados da Vale. Além dos trabalhadores, os parlamentares também irão ouvir representantes da Defesa Civil de Minas Gerais.

Ainda nesta semana, na quinta-feira (11), a comissão se reúne às 9h30 com o objetivo de ouvir o depoimento da ativista ambiental Maria Teresa Corujo, representante da sociedade civil na Câmara Técnica do Conselho Ambiental de Minas Gerais.

CPI

Instalada em março deste ano, a CPI de Brumadinho investiga as causas do rompimento da Barragem I da Mina Córrego do Feijão, que desabou no último dia 25 de janeiro, deixando 224 mortos e 69 pessoas desaparecidas até o momento, segundo o último balanço da Defesa Civil.

A comissão é formada pelos deputados Gustavo Valadares (PSDB), na condição de presidente; Sargento Rodrigues (PTB), como vice-presidente; além dos membros efetivos Cássio Soares (PSD), Beatriz Cerqueira (PT), Inácio Franco (PV), Noraldino Júnior (PSC) e o relator André Quintão (PT). O prazo para conclusão dos trabalhos é de 120 dias, com possibilidade de prorrogação por mais 90 dias.

Leia mais:
Operação de busca em Brumadinho chega ao 73º dia neste domingo; 224 vítimas já foram identificadas
Sobe para 224 o número de mortos na tragédia da Vale em Brumadinho
Justiça obriga Vale a comprovar estabilidade de duas barragens em Itabira