O prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSD), irá se reunir, na tarde desta terça-feira (15), com o governador de São Paulo, João Doria (PSDB). O assunto do encontro não foi divulgado. Porém, fontes ligadas à PBH garantem que o principal tema a ser tratado é a Coronavac, vacina contra a Covid-19 desenvolvida pelo Instituto Butantan em parceria com o laboratório Sinovac. O imunizante será usado pelo governo paulista.

A reunião entre os gestores será durante um almoço, marcado para 12h30, no Palácio dos Bandeirantes, em São Paulo. Lá, estarão o secretário e chefe do Escritório do Governo de São Paulo em Brasília, Antonio Imbassahy, e o secretário de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi. 

Na última quarta-feira (9), a prefeitura de BH informou que fez acordos com o Instituto Butantan e com a UFMG para garantir a imunização dos moradores contra o coronavírus. As doses deverão estar disponíveis assim que a Coronavac for aprovada pela Anvisa. Já a parceria com a universidade irá garantir super freezers para armazenar as doses da Pfizer – que também ainda não foram autorizadas.

De acordo com a PBH, há a expectativa de poder contar com o Programa Nacional de Imunização, coordenado pelo Ministério da Saúde, independentemente de qual vacina seja aprovada. Os trabalhos irão obedecer critérios de prioridade determinados pela Secretaria Municipal de Saúde.

Entretanto, caso as vacinas do Butantan ou da Pfizer - que começou a ser aplicada no Reino Unido - estejam disponíveis primeiro, os acordos vão permitir iniciar a imunização dos grupos de risco o quanto antes.

Vacinação em São Paulo

Nessa segunda-feira (14), João Doria reafirmou que manterá 25 de janeiro como a data de previsão para o começo da vacinação contra a Covid-19 em São Paulo. A decisão vem mesmo após o Instituto Butantan ter adiado a entrega do estudo final dos testes da Coronavac à Anvisa.

A intenção do governo paulista é apresentar o estudo completo e pedir o registro definitivo da vacina em 23 de dezembro, e não mais o pedido de uso emergencial com estudo preliminar, como previsto inicialmente.

Leia mais:

Acordo com a UFMG garante super freezer para 1,2 milhão de vacinas contra a Covid-19 em BH

Escalada da Covid em Minas faz média de novos casos superar o pico da pandemia, entre junho e julho

Médicos e enfermeiros exauridos são mais um desafio do momento atual da pandemia em Minas