Em nova etapa da ação penal contra o ex-governador de Minas Fernando Pimentel (PT), o Ministério Público Eleitoral pediu à Justiça nesta segunda-feira (8) que o réu seja condenado pelo suposto crime de falsidade ideológica e que pague uma indenização de R$ 5 milhões aos cofres públicos. 

Segundo o MP, Pimentel é investigado por ter omitido R$ 1,4 milhão da prestação de contas da campanha eleitoral ao Senado, em 2010. Ele não se elegeu.

Eugenio Pacelli, advogado de Pimentel, confirmou o pedido feito pelo MP e afirmou que a defesa ainda não foi intimada para se pronunciar. 

"Estamos na fase final do processo. O MP, como acusador, entende que ele deve ser condenado e pediu isso. Nós entendemos que ele não deve ser condenado e mostraremos que nada foi provado. A acusação é quase ridícula", afirmou Pacelli.

Procurado pela reportagem, o MP não deu detalhes da denúncia.

O Partido dos Trabalhadores também foi procurado e informou que não comenta investigações sobre seus partidários.

Leia mais:
Pimentel é interrogado no Fórum Lafayette sobre suposto caixa 2
Governador Fernando Pimentel é absolvido em segundo processo que pedia cassação do mandato no TRE/MG

TRE nega um dos pedidos de cassação contra Pimentel por suposta irregularidade na campanha de 2014