O polêmico Projeto de Lei 1.451/20, que reajusta o salário dos servidores da Segurança Pública em Minas, poderá ser votado em primeiro turno na Assembleia Legislativa (ALMG) nesta terça-feira. O texto está na pauta das reuniões extraordinárias convocadas para às 10h e às 18h. Também na ordinária, agendada para às 14h. 

O projeto é de autoria do próprio governador Romeu Zema (Novo) e prevê o aumento em três parcelas: 13% em julho próximo, 12% em setembro do ano que vem e 12% em igual mês de 2022. Cumulativamente, os três percentuais somam 41,74%. 

Na última quinta-feira (13), a deputada Beatriz Cerqueira (PT) propôs uma emenda que estendia o reajuste a todas as categorias, mas teve o pedido rejeitado pelos colegas da Comissão de Fiscalização Financeira e Orçamentária (FFO).

Durante a tramitação nas comissões, o projeto recebeu críticas de lideranças de outras categorias, que defendem tratamento isonômico por parte do Estado. Na hipótese de o projeto ser incluso na pauta desta terça-feira, representantes de outras categorias prometem lotar a Assembleia para protestar contra o que chamam de tratamento diferenciado.  

Leia mais:
Um dia após volta às aulas, professores do Estado cruzam os braços e pedem reajuste salarial
Estado prevê suspender parcelamento de salários em abril; 13º deve ser quitado em março