Deputado de Minas diz que vai processar empresas de fretamento por campanha de calúnia e difamação

Clara Mariz
@clara_mariz
10/11/2021 às 20:31.
Atualizado em 05/12/2021 às 06:13
 (Divulgação / Ricardo Barbosa / ALMG)

(Divulgação / Ricardo Barbosa / ALMG)

O deputado Alencar da Silveira Jr. (PDT) anunciou nesta quarta-feira (10) que irá entrar com um processo na Justiça contra as empresas responsáveis pela divulgação de notícias falsas e pela campanha contra os parlamentares da Assembleia Legislativa de Minas contrários à flexibilização das regras dos serviços de fretamento no Estado. O comunicado foi feito durante a sessão de votação que derrubou o veto feito pelo governador Romeu Zema (Novo).

Durante seu discurso, o parlamentar disse que faixas, carros de som e matérias publicadas na imprensa foram pagos pela Buser para difamar e caluniar os deputados que se opunham às medidas propostas. “Nós estamos entrando na Justiça com uma ação contra as difamações e contra as calúnias que nós ouvimos em cada cidade. Porque é um absurdo o que fizeram com os deputados daqui, colocando carro de som, colocando faixa, gastando com a Rede Globo de Televisão, gastando com jornal, com entrevistas de rádio”, afirmou Alencar. 

O parlamentar informou também que pessoas contrataram um carro de som para circular em Itabirito, na região Central de Minas, divulgando uma mensagem com críticas a ele. O dono da empresa ouviu a gravação, cancelou o serviço e ligou para Alencar da Silveira. O comunicado dizia que o deputado era contra o turismo no Estado. “Eu fui presidente da Comissão de Turismo, onde solidifiquei todas as leis do turismo e fiz o turismo certo para aquela hora”. 

Ainda de acordo com as denúncias do político mineiro, todos os parlamentares da ALMG receberam diversos e-mails a favor da flexibilização das regras do serviço de fretamento no Estado. “Nesta Casa é proibido o uso de robô. Eu quero anunciar para os senhores que nós fizemos um levantamento nesta Casa e recebemos, em um dia, todos os deputados aqui, 16.500 e-mails. E o mais curioso todos os e-mails ao mesmo tempo, usando robô, gastando na mídia social o que gastaram”.

Procurada, a Buser informou que não fez nenhuma publicidade contra os deputados contrários à flexibilização do serviço de fretamento no Estado. De acordo com a empresa, os e-mails enviados foram feitos por usuários do aplicativo por meio de lista de distribuição. E reiteirou que não incentivou ou fez campanha para que as pessoas que usam o serviço se manifestassem a favor da manutenção do serviço em Minas.

O Movimento Fretadores pela Liberdade informou que as manifestações feitas no Estado tinham o objetivo de chamar a atenção de deputados e autoridade para as discussões regulatórias sobre o fretamento de ônibus rodoviários. E que todas as ações ocorreram com o compromisso de esclarecer a população sobre a situação dos mais de 50 mil empregos que foram colocados em risco.






 

Compartilhar
Ediminas S/A Jornal Hoje em Dia.© Copyright 2022Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por