A vantagem sobre o Fortaleza é grande. Mas mesmo com quatro gols de frente, o Atlético não vê a fatura liquidada e promete o mesmo empenho no jogo de volta das semifinais da Copa do Brasil, nesta quarta-feira (27), às 21h30, no Castelão. Paralelamente a essa disputa, o time alvinegro vem sobrando no Brasileirão, como líder, com 59 pontos, muito à frente de Palmeiras (49), Fortaleza (48) e Flamengo (46). E também na competição por pontos corridos, o lema “pés no chão” prevalece na Cidade do Galo.

Como destaca o zagueiro Junior Alonso, a ansiedade pode ficar do lado da Massa. Só que os jogadores precisam ter “cabeça fria e coração quente”, como salientou nesta terça-feira (26).

“É normal os torcedores estarem ansiosos. Nós também temos o pensamento positivo de poder alcançar os objetivos. Porém, temos que manter a tranquilidade e a humildade de trabalhar da mesma maneira. Falta muito ainda. Temos uma vantagem importante na Copa do Brasil e também no Brasileiro. A torcida tem que saber que nada está encerrado. Temos muitos jogos ainda, dez, 11 no Brasileiro; amanhã (quarta) temos o Fortaleza, um time forte, na Copa do Brasil”, afirmou.

O xerifão paraguaio enfatizou ainda a dificuldade do duelo desta quarta, embora tenha dado a entender que alguns atletas poderão ser poupados, visando ao clássico de sábado diante do Flamengo, no Maracanã, pelo Brasileiro.

“Somos jogadores profissionais, temos respeito ao adversário. Temos um jogo que pode ser importante também para o sábado. Vamos em busca da vitória. Há atletas com possibilidade de atuar, e todo mundo está disposto em fazer um grande trabalho no dia de amanhã”, disse.

Atlético

Pressão

Além disso, o zagueiro sabe que existe uma pressão em cima do atual elenco, já que o clube não vence um Brasileiro há 50 anos. No entanto, vê essa situação de forma positiva.

“A gente trabalha todo dia pensando em conseguir nossos objetivos. Com muita pressão de todo mundo. Mas a gente gosta disso. A pressão de brigar por um título é muito melhor que brigar para não cair. Temos essa motivação de brigar pelos títulos do Brasileiro e da Copa do Brasil. Na minha cabeça é só isso: trabalhar! Eu pessoalmente gosto disso, dessa pressão, faz parte da minha carreira, me motiva a seguir melhorando”, comentou.

Leia mais:
Atlético ultrapassa marca dos 75 mil sócios ativos, e Galo na Veia se torna maior programa do Brasil
Atlético: Hulk tenta repetir feito de Gabriel Barbosa nos tempos de Santos
CBF define árbitro para partida decisiva entre Atlético e Flamengo no Campeonato Brasileiro