O Atlético afastou nesta segunda-feira (17) o funcionário do clube que atuava como "Galo Doido". O mascote pediu à jogadora Vitória Calhau, da equipe feminina, para dar uma ‘voltinha’ durante a apresentação de Diego Tardelli neste domingo, no Mineirão.

O time mineiro falou sobre o episódio. "O Atlético lamenta e repudia o comportamento do funcionário, que foi sumariamente afastado. Pedimos desculpas à atleta, demais jogadoras e todas as torcedoras e torcedores pelo lamentável ato", postou o alvinegro em sua conta no Twitter.

Veja o post:

A polêmica, que causou revolta nas redes sociais, aconteceu no intervalo do jogo contra a Caldense, quando o mascote deu a mão a uma das jogadoras e lhe pediu para girar. Na sequência, ele se afasta esfregando as mãos.

"Na minha opinião, o Galo Doido errou. Deve ser repreendido, e pedir desculpas. Inclusive o clube. Esse tipo de atitude não cabe mais. Mas, pelo que eu estou lendo e vendo, ele virou um assassino, estuprador, sequestrador, bandido de alta periculosidade", postou o torcedor Thiago Theodoro no Twitter.

Em outra mensagem, Danielle Machado criticou atitudes machistas no dia a dia. "Os homens que estão aí querendo aparecer, criticando a postura do Galo Doido, são os mesmos que comentam: “gostosa, delícia..” em fotos de mulheres seminuas. Sem falar os “famosinhos” que gostam de cantar via DM. Estamos de olho", disse ela.

Vendo a cena durante o Troca de Passes, programa do SporTV, e recordando o dia em que as jogadoras atuaram como gandulas em jogo do time masculino, o apresentador André Rizek reprovou a atitude: "vergonha".


Leia também:
Como é o transplante de órgãos no Brasil?
Maurício faz gol 'no apagar das luzes' e salva o Cruzeiro de vexame contra o Patrocinense
De volta para casa, Diego Tardelli volta a ser 9 e projeta eternizar nome na história