A defesa segue como um dos principais trunfos do Atlético na Copa Libertadores. Com o empate por 0 a 0 diante do Palmeiras, no Allianz Parque, em jogo de ida das semifinais, na terça-feira (21), o time comandado por Cuca chegou a sete partidas consecutivas sem sofrer gols na competição continental.

O Galo não tem sua defesa vazada desde a penúltima rodada da fase de grupos, quando venceu o Cerro Porteño, por 1 a 0. 

Atlético

A série sem sofrer gols tem ainda o jogo contra o Deportivo La Guaira, também na fase inicial, as duas partidas contra o Boca Juniors, pelas oitavas de final, e outras duas diante do River Plate, nas quartas de final, além do primeiro duelo pelas semifinais com o Palmeiras.

Caso não sofra gols na partida de volta diante do Verdão, na próxima terça-feira (28), no Mineirão, o Atlético vai igualar o recorde de jogos consecutivos sem ter a defesa vazada na história da Copa Libertadores.

Recordistas de jogos sem sofrer gols na Libertadores

Até aqui, a maior sequência com a retaguarda invicta no torneio internacional é de oito jogos, alcançada por quatro equipes: Atlético Nacional (Colômbia), Boca Juniors (Argentina), Estudiantes de La Plata (Argentina) e São Paulo.

O Boca Juniors foi o primeiro dos quatro clubes a alcançar a série de oito partidas sem ser vazado. O feito foi atingido na campanha do título de 1977.

Depois de 32 anos, foi a vez de outro argentino permanecer tanto tempo sem ter sua defesa vazada na Libertadores. O Estudiantes não só igualou o recorde do Boca, como também levou o título de 2009. Curiosamente, os dois argentinos levantaram a taça nessas edições ao derrotar o Cruzeiro na final.

Já em 2010, Rogério Ceni não foi superado pelos adversários em oito jogos entre a fase de grupos e as quartas de final. O Internacional foi responsável por encerrar a invencibilidade do goleiro e eliminar o São Paulo nas semifinais.

A última vez em que uma equipe passou oito confrontos sem ter suas redes balançadas na Libertadores foi em 2016, com mais um campeão. Na campanha do título, o Atlético Nacional não sofreu gols em seus sete primeiros embates. Em sua última partida da edição anterior, o time colombiano venceu o Emelec, do Equador, por 1 a 0, mas acabou eliminado por ter perdido por 2 a 0 no jogo de ida das oitavas de final.

Galo aposta também no poder ofensivo

Se não sofrer gols na próxima terça-feira, o Atlético igualará o recorde histórico da Libertadores, mas isso pode não ser suficiente para avançar à final. Caso o duelo com o Palmeiras, no Mineirão, termine empatado por 0 a 0, a decisão irá para a disputa de pênaltis.

Portanto, para não correr riscos nas penalidades máximas, o Galo precisa contar com a força de seu ataque e marcar gols no tempo normal. Em cinco jogos disputados em casa na Libertadores, o time comandado por Cuca fez 13 gols.

Sequência do Atlético sem sofrer gols na Libertadores

  • Cerro Porteño 0 x 1 Atlético, pela quinta rodada da fase de grupos
  • Atlético 4 x 0 Deportivo La Guaira, pela sexta rodada da fase de grupos
  • Boca Juniors 0 x 0 Atlético, em jogo de ida das oitavas de final
  • Atlético 0 x 0 Boca Juniors, em jogo de volta das oitavas de final
  • River Plate 0 x 1 Atlético, em jogo de ida das quartas de final
  • Atlético 3 x 0 River Plate, em jogo de volta das quartas de final
  • Palmeiras 0 x 0 Atlético, em jogo de ida das semifinais

Maiores sequências sem sofrer gols da história da Copa Libertadores (todos com oito jogos)

  • Boca Juniors, em 1977
  • Estudiantes, em 2009 
  • São Paulo, em 2010
  • Atlético Nacional, em 2015-2016

Leia mais:

Em jogo com Fortaleza, Atlético vai decidir fora de casa a vaga para final da Copa do Brasil
À espera do diagnóstico, Cuca tem esperança de contar com Diego Costa contra o Palmeiras
Empate mantém jejum do Galo no Allianz Parque e em duelos com Palmeiras por torneios continentais